X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Estado tem 15 casos confirmados e 5 mortes por meningite

A meningite é uma doença imunoprevenível, ou seja, pode ser evitada pela vacinação

Anny Freire | 08/02/2022 19:07 h

No primeiro mês deste ano, foram contabilizados 15 casos confirmados e 5 óbitos pela meningite, entre viral, bacteriana e fúngica. Um número que chama atenção das autoridades de saúde, já que em 2021, de janeiro a dezembro, foram confirmados em todo o Espírito Santo 79 casos e 18 mortes. Os dados foram divulgados pela Secretaria da Saúde (Sesa).

A meningite é uma doença imunoprevenível, ou seja, pode ser evitada pela vacinação. “Por isso, é importante estarmos com a vacinação em dia, especialmente a de crianças e adolescentes, cuja vacinação contra a meningite está presente no Calendário Vacinal”, ressaltou o subsecretário de Estado de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin.

Devido a gravidade que a doença pode desenvolver, todas as formas de meningite precisam de atenção especial. Entre elas a Meningite Meningocócica C, que só em janeiro deste ano registrou seis casos e dois óbitos.

Mesmo sendo de muita importância a vacinação contra a Meningite Meningocócica C, em 2021 o Espírito Santo não alcançou a meta preconizada pelo Ministério da Saúde de 95% das crianças e adolescentes vacinados.

Para crianças menores de um ano, a cobertura da Meningococo C está em 72,57%. Já para crianças com um ano, a cobertura é de 69,96%. Para adolescentes, a cobertura da Meningococo CWY é de 38,56% para a faixa etária de 11 anos de idade e, 25,43%, para de 12 anos.

Apesar da faixa etária em maior risco de adoecimento ser crianças menores de um ano de idade, os adolescentes e adultos jovens são os principais responsáveis pela manutenção da circulação da doença na comunidade.

Por conta disso, deve se lembra que a principal forma de controlar a Meningite Meningocócica C é manter elevadas coberturas vacinais tanto na população infantil quanto em adolescentes. 

Nota de alerta aos municípios

Em virtude do cenário atual, o Centro de Informações Estratégicas e Respostas em Vigilância em Saúde (CIEVS) da Sesa encaminhou, nessa segunda-feira (07), às secretarias municipais de saúde uma nota de alerta à situação epidemiológica da doença.

“Alertamos os profissionais de saúde capixaba tanto em relação ao cenário quanto ao manejo adequado de casos suspeitos pela meningite”, frisou o coordenador do Centro de Informações Estratégicas e Respostas em Vigilância em Saúde, Gilton Almada.

O alerta, segundo Almada, ocorre devido à investigação de casos de Meningite Meningocócica C no município de São Roque do Canaã, no norte do Estado. Ainda de acordo com o coordenador, a investigação teve início na última sexta-feira (04).

“Estivemos durante o final de semana anterior na cidade e voltamos esta semana para dar continuidade à investigação, além de realizar ações de bloqueio para evitar a propagação de mais casos na região. Esta é uma doença que é passada pelo contato direto de secreções, por isso a importância de identificar aqueles que tiveram contato direto com os casos positivos para dar início à quimioprofilaxia, o tratamento preventivo”, explicou Almada. 

Outra ação importante que vai acontecer ao longo da semana no município de São Roque do Canaã será, mediante o apoio do Programa Estadual de Imunizações e Vigilância das Doenças Imunopreveníveis, a intensificação da rotina de vacinação.

“Realizaremos uma capacitação para os profissionais de saúde do município sobre a ampliação temporária da vacinação e a aplicação da vacina meningocócica C e ACWY para dar início, ainda nesta quinta-feira (10), à vacinação contra a doença meningocócica C da população de 3 meses a 29 anos”, informou a coordenadora do Programa Estadual de Imunizações e Vigilância das Doenças Imunopreveníveis (PEI), Danielle Grillo.

Ela acrescentou que a ação de intensificação ocorre em caráter especial e contou com a autorização do Ministério da Saúde. A vacina será aplicada na população de 3 meses a 29 anos que não tenha recebido quaisquer doses ou esteja com esquema incompleto.

Para os demais municípios, a vacinação contra a doença meningocócica segue o Calendário Nacional, com doses disponíveis às crianças menores de um ano, crianças de um ano e adolescentes de 11 e 12 anos. 

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS