X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Especialistas dizem como curtir o Dia da Gula sem culpa

Nutricionistas afirmam que é possível aproveitar qualquer tipo de alimento, desde que seja dada prioridade aos mais saudáveis

Maria Fernanda Conti, do jornal A Tribuna | 26/01/2022 18:23 h

Pelo menos uma vez na vida, todo mundo já teve “o olho maior do que a barriga” e caiu na tentação de um dos principais pecados capitais: a gula. Mas, afinal, é possível garantir um equilíbrio alimentar sem abrir mão de comer o que gosta?       

Nesta quarta-feira (26), quando é comemorado o Dia da Gula, especialistas afirmam que “sim” e ainda dão dicas de como comer de tudo um pouco, porém, sem culpa e longe dos transtornos alimentares. 

A nutricionista  Scheila Ricardo explica que uma das principais dicas seria não se privar dos alimentos que gosta, além de evitar seguir dietas “mirabolantes” – como as líquidas, de sopa, entre outras.    

“Dá para aproveitar qualquer tipo de alimento, desde que saibamos priorizar aqueles mais saudáveis. Não é necessário se privar de nada. Você deve apenas evitar tornar essa comida calórica como parte da rotina”, indicou.

Segundo a nutricionista e colunista do jornal A Tribuna Gabriela Rebello, ter uma alimentação equilibrada significa comer de maneira consciente, ou seja, estar inteiramente presente no momento da refeição.

“Faça, por exemplo, uma pequena pausa e pergunte-se se está saciado ou se realmente precisa comer mais. Use pratos e talheres bonitos, coma em um ambiente que te deixe feliz e calmo. Contemple e avalie a sua experiência na mesa”, orientou.

Mas, caso a pessoa “enfie o pé na jaca”, de acordo com a especialista, ela deve aprender a se cobrar menos e ter consciência de que erros acontecem durante a busca por um estilo de vida saudável.      

“Isso pode acontecer e está tudo bem, pois somos falhos. Na próxima refeição (se possível, o quanto antes), retome o seu planejamento, mas sem extremismos e excessos de atividade física”, defende.

Outra recomendação é que o indivíduo tente identificar se está se alimentando por compulsão e, a depender do caso, procure ajuda de um especialista, como explica a psicóloga Naira Delboni.

“Sempre precisamos nos perguntar: estou com fome, ou com fome psicológica? Às vezes, sentimos um vazio que é compensado com a comida, sendo capaz de desencadear transtornos (bulimia, anorexia, entre outros) que estão muito ligados com a ansiedade e a depressão”, pontuou.

A profissional de Educação Física Jordana Carvalho diz que come de tudo que tem vontade, mas sem exagerar na dose
A profissional de Educação Física Jordana Carvalho diz que come de tudo que tem vontade, mas sem exagerar na dose |  Foto: Lucas Sandonato/AT
 

De tudo um pouco, sem exageros

Comer de tudo que tem vontade, mas sem exagerar na dose. Esse é o segredo da profissional de Educação Física Jordana Carvalho, de 24 anos, para não cair na tentação da gula, cujo dia é comemorado hoje.

Chocólatra de carteirinha, como admite, ela tenta compensar os momentos de exageros com exercícios físicos e uma alimentação mais saudável no dia a dia. 

“Não me privo de comer nada que eu realmente goste, como pizza, bolo, entre outros. Acredito que o melhor é medir bem as quantidades e evitar ser tão restritivo”, opina.

“Hoje em dia, tendemos a descontar tudo na alimentação. É preciso um autocontrole, para não sair comendo tudo que tem pela frente”, diz Jordana.


SAIBA MAIS


Dia da Gula

  • Comemorado nesta quarta-feira (26), o dia da gula busca alertar sobre os distúrbios alimentares.
  • De acordo com dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 4,7% da população brasileira sofre de algum tipo de transtorno relacionado à alimentação, como anorexia e bulimia.

Antes da refeição

  • O ideal é que o indivíduo não crie nenhuma restrição alimentar, pois, segundo os especialistas, isso pode gerar ansiedade, caso ele faça o consumo.
  • Além disso, outra dica é preparar porções de cada tipo de alimento que se quer no prato, para não exagerar na dosagem.
  • Vale a pena ainda dar preferência a alimentos saudáveis no cotidiano (frutas e verduras) e definir previamente em quais dias haverá o consumo de algo mais calórico.    

Durante a refeição

  • Segundo a nutricionista Gabriela Rebello, alguns rituais devem ser seguidos durante as refeições, com o intuito de fazer com que a pessoa coma com equilíbrio.
  • Entre as dicas, estão: evitar distrações enquanto come, mastigar bastante, colocar elementos esteticamente agradáveis na mesa, ou seja, comer em um ambiente que te deixe feliz, etc.  

Benefícios

  • Evita que a pessoa coma no “piloto-automático” e permitirá que seu corpo diga quando está saciada. 
  • Melhora a digestão e ajuda a nutrir o corpo. Isso ocorre porque comer devagar dá ao  corpo a chance de digerir a comida.  
  • Muitas pessoas que comem rapidamente comem mais porque não deram ao estômago a chance de enviar uma mensagem ao cérebro de que estão satisfeitas.   

Após a refeição

  • Caso a pessoa exagere na comida, uma dica é beber bastante água e se exercitar (não como forma de punição, mas, sim, de bem-estar), além de voltar à programação normal de alimentação.   

Fonte: Especialistas consultados.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS