Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Empresários propõem shows com mais público e só para vacinados

| 11/08/2021 15:38 h | Atualizado em 11/08/2021, 16:04

A exemplo do que é realidade em outros estados e países, empresários propõem eventos maiores no Espírito Santo com shows, e só para vacinados contra a covid. Para eles, a flexibilização já deveria estar acontecendo de forma gradativa.

Pablo Pacheco, diretor da Associação Brasileira dos Promotores de Eventos (Abrape), regional do Estado, acredita que grandes eventos exclusivos para vacinados podem ajudar, inclusive, a aumentar a adesão à vacinação.

Ele lembra que o Estado é referência nacional no avanço da vacinação, além de apresentar redução na transmissão do vírus e queda no número de mortes.

“Nas últimas semanas assistimos a vários estados anunciando planos de retomada que são vinculados ao avanço da vacinação e baixos indicadores da pandemia, realidade também em vários países”.

Empresários, como Pablo Pacheco (camisa social), dizem que os shows podem aumentar a adesão à vacinação
Empresários, como Pablo Pacheco (camisa social), dizem que os shows podem aumentar a adesão à vacinação |  Foto: Douglas Schneider / AT

Um plano de retomada gradual foi apresentado ao governo do Estado, mas foi negado. “A nossa flexibilização começava no risco baixo, com liberação de eventos para até 500 pessoas. Quando atingíssemos 70% da população imunizada, já não teria mais restrições”.

Outro ponto questionado pelos produtores é que eventos considerados sociais, como casamentos, podem receber até 600 pessoas, enquanto que os culturais e de entretenimento, como shows e pistas de dança, não têm a mesma liberação.

O empresário Marcio Ribeiro é defensor da retomada imediata dos eventos. “Estamos parados desde março de 2020 e não tivemos qualquer ajuda do governo. Defendo que haja uma flexibilização da capacidade de público para quem já tomou a 1ª dose e sem limite de público para pessoas que já tenham tomado as duas doses”.

Eduardo Pagani, empresário do setor, lamenta a demora por uma decisão do governo. “A gente está sendo injustiçado. Trabalhamos com planejamento para o verão e estamos fazendo isso por conta e risco. Precisamos de respostas”.

Ramissés Rocha de Almeida, produtor Executivo do Multiplace Mais, também diz que é hora de liberar os eventos maiores. Ele também defende que os frequentadores apresentem comprovante de vacinação e diz que mesmo se o governo não exigir, a casa tem a intenção de adotar essa estratégia, já que ela traz segurança para todos.

Estado avalia mudanças nas regras a partir do mês que vem

Ciente dos apelos de representantes do setor de eventos para uma possível flexibilização das regras de funcionamento, o governo do Estado avalia mudanças até a próxima semana. Elas podem começar a valer a partir de setembro.

É o que afirmou a secretária de Estado do Turismo, Lenise Loureiro. “Fizemos uma releitura das regras em meados de julho e elas passaram a valer a partir de agosto, permitindo aumento do número de pessoas em eventos sociais. Até o final da próxima semana, é possível fazer uma nova avaliação das regras para novas adequações valerem a partir de setembro”.

A secretária não detalhou, no entanto, o que pode mudar já para o próximo mês, já que o tema ainda será debatido e avaliado.

Ela frisou que a ideia é a cada 30 dias ter a possibilidade de mudanças, que podem incluir flexibilizações para o setor. “Isso vai depender do avanço da vacinação, atingindo mais pessoas, e da análise do mapa de risco do governo do Estado”.

Segundo Lenise, o governo não tem a intenção de liberar eventos apenas para pessoas vacinadas, já que mesmo tendo recebido o imunizante há possibilidade de se infectar e transmitir o vírus. “O Estado pretende fazer liberações de forma gradual, mas para todos”.

Sobre o pedido para que as regras sejam igualadas aos eventos sociais, ela ressaltou que os dois eventos têm perfis diferentes.

“Os eventos sociais, como casamentos e aniversários, geralmente reúnem pessoas de um mesmo núcleo social, mais conhecidos. Já os shows, têm um perfil diferente, com maior interação entre pessoas que não se conhecem”, frisou Lenise Loureiro.


SAIBA MAIS


O que está permitido

Eventos sociais

  • Desde o início do mês, diante da redução do número de casos, internações e mortes por covid-19, o governo do Estado anunciou nova flexibilização para os eventos sociais, como festa de casamentos, aniversários e formaturas.
  • nas cidades de risco baixo, os eventos sociais estão liberados para 50% da capacidade do local, limitados até, no máximo, 600 pessoas.
  • Nesse caso, se o espaço tem capacidade para mil pessoas, poderá ser liberado para 500 participantes.
  • Já áreas com capacidade para 2 mil pessoas, poderão ter eventos com até 600, número máximo.

Exigências

  • No caso de eventos acima de 300 pessoas é necessário ter nome na lista na porta e será cobrado comprovante de vacinação contra covid-19 de, pelo menos, uma dose ou um exame negativo para a doença, feito com 48 horas de antecedência ao evento.

Shows

  • Pelas regras atuais, eles podem ser feitos exclusivamente em municípios de risco baixo para públicos de até 300 pessoas, de acordo com a capacidade do espaço (uma pessoa para cada cinco metros quadrados).

As propostas de empresários do setor

Flexibilização com vacinação

  • No plano de retomada gradual, empresários defendem que a flexibilização começaria no risco baixo, com a liberação de eventos para 500 pessoas. À medida que 70% da população fosse imunizada, não teria mais restrições da capacidade de público.

Comprovante

  • Assim como é exigido nos eventos sociais, a exemplo de festas de casamentos, formaturas e aniversários, seria necessário apresentação de comprovante de vacina ou resultado negativo para a covid-19.
  • Para os empresários, isso traz segurança aos frequentadores, incentivando a vacinação.
  • para evitar fraudes, a ideia é aceitar apenas cartões de vacinação digitais. Por exemplo: quem já se vacinou, seja com uma ou duas doses, pode obter esse comprovante através da plataforma Conecte SUS (disponível na web ou em aplicativo para iOS e Android. Por meio da ferramenta, o usuário consulta o tipo de vacina aplicada, o lote de fabricação e a data em que cada dose foi aplicada.
  • Outra alternativa seria apresentar o comprovante pela plataforma digital Vacina e Confia Espírito Santo, do governo do Estado.

Quantidade de doses

  • Sobre a liberação após a vacinação, há empresários e produtores de eventos que sinalizam que seja com a primeira dose, no caso da Pfizer, AstraZeneca ou Janssen (dose única), a exemplo da Abrape, embora digam que os protocolos podem ser definidos pelos técnicos de saúde.
  • Outros empresários, como Marcio Ribeiro, por sua vez, defendem que haja uma flexibilização da capacidade de público para pessoas que já tomaram 1ª dose e a liberação sem limite de público para pessoas que tenham tomado as duas doses.

Projeto de lei

  • Tramita na Câmara Municipal de Vitória um projeto de lei que autoriza a realização de eventos culturais – inclusive shows – e esportivos para plateias formadas por pessoas que já tomaram as duas doses da vacina contra Covid-19.
  • De autoria do vereador Armandinho Fontoura (Podemos), o texto aguarda parecer final da Comissão de Justiça e deve ser levado a plenário nos próximos dias.

Fonte: Empresários e governo do Estado.

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS