X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Doméstica comemora a aprovação do filho na Ufes

| 12/02/2020 16:51 h | Atualizado em 12/02/2020, 17:51

Cirleide é só felicidade com a aprovação de Álvaro: “Será o primeiro da família a fazer faculdade”, disse a mãe
Cirleide é só felicidade com a aprovação de Álvaro: “Será o primeiro da família a fazer faculdade”, disse a mãe |  Foto: Dayana Souza/AT

Superar centenas de concorrentes e conseguir uma vaga na faculdade pública é um mérito e tanto na vida de qualquer estudante. Algumas vezes, no entanto, a conquista não é somente individual. É o caso da doméstica Cirleide Santos, 38 anos, e do filho, Álvaro Davi Santos, que moram no bairro Jardim Tropical, na Serra.

Diante da dificuldade financeira, ela teve de batalhar ainda mais para garantir que seu filho não precisasse trabalhar. A luta diária era para que ele pudesse se dedicar somente aos estudos.

O resultado: uma aprovação no curso de Engenharia da Computação na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). O curso foi o que exigiu a quarta maior nota este ano no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

“Ele vai ser a primeira pessoa da família a fazer faculdade. É uma alegria enorme e motivo de orgulho para todos”, contou Cirleide.

Aos 17 anos, Álvaro passou um ano inteiro de muito estudo e poucas horas de sono. “Foi uma rotina muito corrida e cansativa. Eu não dormia nem cinco horas por dia. Em algumas noites, sequer conseguia dormir”, contou Álvaro, aluno da Escola Estadual Almirante Barroso, em Vitória.

“Abri mão do sono e de muitos momentos de lazer. Mas tudo isso valeu a pena, pois viver esse momento de conquista era o grande objetivo”, completou.

Toda essa dedicação do estudante teve ajuda fundamental da mãe, que nunca deixou o filho abandonar a escola, realidade ainda comum no Estado. “Eu me esforcei para que ele não precisasse interromper os estudos. A saída foi trabalhar e ralar bastante. Batalhei muito, sempre colocando o estudo dele como prioridade”, ressaltou a doméstica.

Retribuição

Prestes a iniciar as aulas na Ufes, Álvaro faz questão de reconhecer o esforço da mãe, tão fundamental quanto o dele diante dos livros e cadernos.

“Ela sempre me apoiou. Por isso, esse resultado também é dela. Devo tudo a minha mãe”, disse o futuro engenheiro, que agora espera retribuir.

“Ela também tem o sonho de entrar na faculdade, na área de Pedagogia ou Psicologia. Como eu consegui, vou incentivar e ajudá-la nos estudos. Depois de tanta batalha, quero que ela realize esse sonho”, prometeu Álvaro.


ENTREVISTA | Cirleide da Cruz Santos, doméstica “É um orgulho para toda a família”


A doméstica Cirleide da Cruz Santos voltava da igreja quando recebeu uma das melhores notícias de sua vida: a de que o filho havia sido aprovado na Universidade Federal do Espírito Santo.
Álvaro, que estava se sentindo mal naquele dia, sequer sabia da divulgação do resultado, que saiu de forma surpresa, no início da noite.

Mesmo confiante, após tanto esforço, o estudante ficou alguns minutos sem acreditar que havia conseguido uma das vagas. A ficha, segundo ele, só caiu depois.

A mãe, no entanto, não deixou de acreditar em nenhum minuto.

Imagem ilustrativa da imagem Doméstica comemora a aprovação do filho na Ufes
A Tribuna – Mesmo diante das dificuldades financeiras da família, seu filho nunca precisou abandonar os estudos para trabalhar?
Cirleide da Cruz Santos – Sempre buscamos priorizar o estudo dele, mesmo que pudesse precisar trabalhar. Eu me esforcei para dar o melhor e para que ele não precisasse interromper os estudos. Demos um jeito.

As nossas condições não são favoráveis. Então, a saída é trabalhar e ralar bastante, batalhar muito, mas sempre priorizando os estudos, até porque, é algo que ele gosta muito.

Como ficou sabendo que seu filho havia passado na Ufes?
Foi à noite. Estávamos voltando da igreja quando ele entrou na internet para ver o resultado. Foi uma alegria sem tamanho. Ficamos emocionados e nos abraçamos muito.

Acreditava que ele fosse conseguir uma das vagas?
Embora sabendo que seria difícil, eu acreditava no potencial dele, pois é um menino muito esforçado e dedicado, que sempre buscou estudar.

Foi uma trajetória linda. Ele se preparou muito. Era algo que ele queria, e sempre mostrou isto, o que me fez acreditar e ficar confiante na aprovação.

Ele sempre foi estudioso?
Sempre. Nunca me deu trabalho. Sempre trouxe orgulho por causa dos estudos, desde pequeno. Sempre teve o meu apoio, mas é algo que veio naturalmente dele.

Ele vai ser o primeiro da família com curso superior?
Sim. É uma alegria e um orgulho para toda para a família, pois sabemos das dificuldades da vida. Ele venceu, e isso me deixa feliz e orgulhosa.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS