X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Cordeiro Tapioca ganha beijos e fãs

| 05/03/2021 20:34 h

Imagem ilustrativa da imagem Cordeiro Tapioca ganha beijos e fãs

Um animalzinho vem fazendo sucesso nas ruas de Vila Velha. Por onde passa, o cordeirinho Tapioca ganha beijos e abraços. Ele tem apenas oito meses e foi adotado ainda recém-nascido pelos proprietários da clínica Silvestres, especializada em atendimento a animais exóticos, o veterinário Eduardo Lázaro e a bióloga Thatiane Borlini.

O casal estava em busca de uma mascote para o hospital veterinário. Inicialmente, pensaram em uma opaca, mas perceberam que teriam dificuldades para conseguir o animal.

“Decidimos por uma minicabra ou ovelha. Durante a pesquisa, encontramos um rapaz que tinha esses animais. Então, ele trouxe o Tapioca ainda filhote para nós”, contou Thatiane.

Desde que chegou à clínica, o bichinho faz muito sucesso. Há quem vá ao local só para visitá-lo. Quando é hora de passear, as pessoas sempre param para abraçá-lo.

“Todo cliente que chega quer conhecer o Tapioca. Ele é dócil, tranquilo. Ele gosta de companhia, carinho. Quando está sozinho, fica berrando até aparecer alguém”, disse Thatiane.

Por conta do sucesso, Tapioca foi personagem de uma matéria exibida pela TV Tribuna na última quarta-feira. A alimentação de Tapioca é capim e uma quantidade de ração, que é calculada pelos veterinários.

Thatiane explica que um cordeiro não é animal fácil de manter. Sua alimentação não pode ser somente a ração. Há cada 20 dias, tem seu dia de banho. Por ser considerado animal doméstico, não há necessidade de autorização.

Durante a semana, ele fica na clínica, mas, nos finais de semana, a guarda de Tapioca fica entre o casal e a médica veterinária que cuida do bichinho, Kristal Furno. O animal é apaixonado pela médica e sempre pede carinho quando ela está próximo. “É um xodó para nós. Ele é especial, alegra nosso dia”, disse Kristal.

O nome Tapioca foi sugestão da irmã de Kristal. Ele ainda é um cordeirinho, mas ao completar 1 ano, vai se tornar um carneiro.

As meninas irlandesas, Méabh Brady, 4 anos, e Aoife Brady, 2, se surpreenderam quando encontraram Tapioca passeando pelas ruas de Vila Velha. Com a mãe, a fisioterapeuta Adriana Martins, 40, elas não hesitaram em fazer um carinho no cordeirinho. “Uma fofura.

Na Irlanda, a gente tem muito contato com cordeiros, mas foi uma surpresa encontrar com um no meio da rua”, disse a mãe.
O aposentado Valter Pavan, 80, conta que nunca viu um cordeiro pessoalmente e se apaixonou pelo animal. “Muito carismático”.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS