Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Censo revela falta de quadras e laboratórios em escolas

Levantamento apontou ainda que 21% dos colégios não têm bibliotecas

Ana Carolina Favalessa, do jornal A Tribuna | 25/02/2022 16:31 h

Ainda falta infraestrutura em escolas da rede pública estadual, como ausência de bibliotecas, quadras e laboratórios em alguns colégios. É isso que apontam os dados do Censo Escolar da Educação Básica 2021, realizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), do Ministério da Educação (MEC).

No Espírito Santo, o  levantamento reuniu informações de 435 escolas da rede estadual. Segundo os dados do levantamento, 54% delas não têm laboratório de ciências; 41% não ofertam laboratório de informática; 30% não têm quadra de esportes, e 21% não têm biblioteca. 

A análise dos microdados do Espírito Santo foi  feita pela equipe do deputado estadual e mestre em Educação Sergio Majeski. Desde 2015, ele   percorreu cerca de 300 escolas da rede e constatou deficiências de infraestrutura. “Os problemas são os mais graves possíveis, porque há situações que o censo não mede. Várias escolas têm problemas com internet e de rede elétrica”, disse Majeski.

Espaços como laboratórios, bibliotecas e quadra de esporte  facilitam e enriquecem o processo de aprendizagem, segundo a doutora em Educação Edna Tavares.

“Aulas em laboratórios e contextualizadas, se alinhadas com pressupostos científicos, possibilitam discutir conteúdos e saberes, facilitando e provocando aprendizagem mais eficaz e prática”, disse.

O  coordenador de Políticas Educacionais do Todos Pela Educação, Ivan Gontijo, pontuou que, apesar de ser possível fazer educação de qualidade com pouca infraestrutura, esse fator é importante para a aprendizagem. “Mas, não basta colocar uma quadra ou um laboratório para resolver o problema. Há itens prioritários, como melhorar a formação de professores”.

Os problemas na infraestrutura  já foram percebidos por pais de alunos, segundo o secretário-geral da Associação de Pais de Alunos do Espírito Santo (Assopaes), Aguiberto Oliveira de Lima. Em Santa Leopoldina, há bibliotecas que, quando chove, alagam. “A porta de entrada para esses outros saberes é a biblioteca, que é negligenciada”.

Falta sala para secretaria escolar em 10%

O Censo Escolar da Educação Básica 2021, realizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), ligado ao Ministério da Educação (MEC), já está disponível.

Os dados haviam sido divulgados, inicialmente, em 31 de janeiro, mas foram recolhidos pelo Inep. Segundo o órgão, o conteúdo dos arquivos foi reestruturado para suprimir a possibilidade de identificação de pessoas, em atendimento à Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD).

 Os dados na rede pública estadual do Espírito Santo apontam que 9% das unidades não contam com coleta de lixo. Além disso,10% não possuem sala própria para secretaria escolar; 11% não têm sala dos professores; 14% não estão ligadas à rede pública de abastecimento de água; em 17% não há refeitório; 18% não possuem nenhum item de acessibilidade; 21% não têm biblioteca; 23% não estão ligadas à rede pública de esgoto; em 27% não há sala de atendimento especial; 30% não têm quadra de esportes.; 41% não ofertam laboratório de informática; 54% não têm laboratório de ciências; 62% não há auditório e 76% não possuem nenhuma sala de aula climatizada.

Sedu diz que investe em programas de ciências

Após a divulgação dos dados sobre  infraestrutura nos colégios da rede pública,  a Secretaria de Estado da Educação (Sedu) informou, por meio de nota,  que realiza  investimentos nas escolas da rede.   

No âmbito pedagógico,  disse que  o governo do Estado investe R$ 50 milhões nas escolas públicas estaduais, pelo Programa de Fortalecimento da Aprendizagem.

“Fazem parte do pacote de investimentos recursos pedagógicos destinados às escolas, por meio do Programa de Educação Científica, com laboratórios de Ciências, Física, Química, Biologia e Matemática. O investimento é feito de forma igualitária para todas as unidades de ensino”, informou.

A Sedu destacou que são direcionados recursos para a  Educação Especial, para aquisição de materiais pedagógicos, equipamentos de acessibilidade e de tecnologia assistiva, cadeira de rodas, macas e notebooks, por exemplo.

Afirmou ainda que tem realizado reformas e ampliações de escolas  e construções de quadras poliesportivas. Para a aquisição de laboratórios e cursos técnicos, será feita a adequação e a aquisição de laboratórios requeridos para cada curso.

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS