X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Cidades

Caminhão-baú apreendido serviria de “hotel” para turistas até o Ano Novo

Veículo apreendido pela Polícia Rodoviária Federal transportava ilegalmente 31 mineiros que pretendiam passar o Ano Novo em Piúma


Imagem ilustrativa da imagem Caminhão-baú apreendido serviria de “hotel” para turistas até o Ano Novo
A Polícia Rodoviária Federal (PRF) decidiu parar o veículo durante uma fiscalização de rotina. |  Foto: Divulgação/PRF

Depois de percorrer mais de sete horas, a viagem de 31 turistas que seguiam da cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais, para Piúma, no litoral Sul do Estado, foi interrompida por uma abordagem da Polícia Rodoviária Federal (PRF), na BR-262, em Brejetuba, na Região Serrana. 

Os mineiros estavam colocando a vida em risco, pois viajavam dentro do baú de um caminhão, deitados em colchões, travesseiros e mantas, levando pertences pessoais e alimentação. 

Entre eles havia homens, mulheres, portadores de necessidades especiais, idosos e  15 crianças, incluindo bebês de colo. 

Sem hospedagem agendada em Piúma, o caminhão-baú seria usado como hotel até o Ano Novo, quando os mineiros programavam a volta para casa. 

“Os passageiros informaram terem saído de Belo Horizonte com destino a Piúma para as festas de fim de ano. Eles não informaram sobre hospedagens agendadas, apenas disseram que iam ficar até as festas de final do ano”, explicou o inspetor da PRF, Wylis Lyra. 

Para o policial, ocorrências com passageiros em compartimento de carga são comuns, mas a surpresa foi causada com a quantidade.  

“Com esse número grande de passageiros é a primeira vez que flagramos. E não foi denúncia. A Operação Natal está em campo, e atuando na madrugada, quando os policiais decidiram abordar o caminhão que passava em um horário atípico. Olhamos o documento do veículo, e quando fomos olhar a carga, se tratava de carga humana”, conta o inspetor. 

O caminhão-baú abordado é usado normalmente para transporte de móveis e tinha ventilação pelas entradas de ar, mas os passageiros estavam  soltos e sem qualquer dispositivo de proteção.   

Os passageiros relataram à polícia que todos são familiares e amigos, não sendo possível identificar se o caminhão foi contratado para o transporte ilegal.  

“O motorista tinha ciência do transporte ilegal. O caminhão pertence a uma empresa  e, aparentemente, eles alugaram o caminhão, mas não foi possível confirmar se o motorista estava sendo remunerado ou não pelo serviço”, afirmou.  

O condutor do veículo foi autuado com base no Código Brasileiro de Trânsito e vai responder a processo criminal por transporte ilegal. Neste caso, não foi necessária  a prisão do condutor.

Turistas vindos de Minas foram para Piúma de ônibus

A viagem dos  31 turistas no caminhão foi interrompida após sete horas de estrada, mas seguiu horas depois no ônibus. A Polícia Rodoviária Federal, que acionou o serviço regular de transporte e exigiu que o condutor do caminhão arcasse com os custos, decidiu levar os mineiros para Piúma. 

Segundo o inspetor da PRF Wylis Lyra, em casos como esses, o destino dos passageiros é escolhido considerando a menor proximidade.  

“Como eles estavam mais perto do destino final, se comparado ao ponto de partida, enviamos o ônibus para Piúma. Esse é o procedimento. E quem arca com os custos é o motorista do caminhão que realizava o transporte ilegal”, explicou o policial.  

Três horas depois, os mineiros foram deixados em Piúma e o prefeito da cidade, Paulo de Cola, disse que vai acionar a assistente social da prefeitura para identificar os mineiros. 

“A nossa assistência social vai procurar a PRF para ter acesso à ocorrência lavrada, porque há boatos  na cidade de que se trata de um grupo  de pessoas em situação de rua sendo transportada de forma irregular. Vamos esclarecer isso  e esperamos que seja uma inverdade, porque isso não se faz com ninguém”, disse Cola. 

Em Piúma, são esperados mais de 25 mil turistas durante a temporada de verão, e o prefeito destaca que não faz nenhum tipo de seleção com turistas, e que todos são bem-vindos. 

“Não temos problema em acolher o turista, desde os mais humildes até o público mais exigente. O que não queremos é bagunça. Aconselhamos os turistas  a viajarem com segurança e investimos na qualidade do que é oferecido ao turista. Fizemos uma programação com artistas locais, investimento na área de esporte, e tudo será oferecido de graça ao turista”, completou Cola.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: