Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Barulho do mar e chuva entre as queixas nas viagens de férias

Hotéis e pousadas recebem reclamações por obra pública em rua, mar com peixes e até de cama confortável demais

Rafael Gomes, do jornal A Tribuna | 03/02/2022 17:23 h

O cliente sempre tem razão. A frase é clássica, mas nem sempre condiz com a realidade. Os serviços que atendem turistas em férias, principalmente hotéis e pousadas, costumam receber reclamações que ultrapassam o limite entre o direito e o absurdo.

Algumas queixas estão longe de ser sobre um quarto sujo ou um serviço mal prestado. Elas vão além: há reclamação sobre o barulho do mar e até de que a cama era tão confortável que fez o cliente dormir demais e perder o café da manhã.

Reclamações como essas estão presentes em sites de viagens e hospedagem que fornecem  opiniões dos usuários, como TripAdvisor e Booking.

Em um dos casos, o hóspede deu nota baixa para o hotel porque os fogos de artifício do Réveillon começaram antes que ele tivesse tempo de se arrumar para assistir. Um outro  reclamou da pousada porque choveu em todos os dias de estadia dele.    

Em uma pousada na Serra, a reclamação veio por conta de uma obra pública que estava sendo feita no bairro. “Às vezes, recebemos críticas que não têm fundamento. Alguns clientes ultrapassam o limite. O problema não são as críticas, e, sim, aquelas que não cabem ao serviço contratado”, afirmou o dono da pousada na Serra, que preferiu não se identificar. 

Mas, afinal, quando   a reclamação ultrapassa o limite entre o direito e o absurdo? Superintendente do Procon de Vila Velha, George Alves explica que o estabelecimento é responsável pelo serviço que está sendo prestado, não podendo se responsabilizar por situações externas.

“Em um hotel, a finalidade é a estadia. Se a estadia não for comprometida, nem sempre o problema vai ferir o contrato. Vai do bom senso”, afirmou.

A exceção é quando o problema externo não condiz com o que foi prometido pelo estabelecimento.

 “Se a pousada divulgou, por exemplo, que ela fica a duas quadras do mar, enquanto, na verdade, é mais distante, pode configurar  propaganda enganosa. Assim como um hotel que promete  local com sossego e fica em região barulhenta”, exemplificou George. 

George Alves:  estadia do hotel

Reclamações absurdas nas viagens de férias

Na foto 
o Superintendente do Procon Vila Velha, George Alves.

Foto:Leone Iglesias
George Alves: estadia do hotel Reclamações absurdas nas viagens de férias Na foto o Superintendente do Procon Vila Velha, George Alves. Foto:Leone Iglesias |  Foto: Leone Iglesias/AT
 

A diretora jurídica do Procon-ES, Andréa Munhós, lembra que o consumidor tem direito à informação clara e precisa sobre o serviço no ato da contratação. 

“O ideal é que, além disso, o cliente busque referências na internet,  para que ele consiga se convencer que sabe tudo sobre o hotel e a região”, orientou.


 Choveu todo dia! 

Imagem ilustrativa da imagem Barulho do mar e chuva entre as queixas nas viagens de férias
 

Após se hospedar em uma pousada por alguns dias, o hóspede fez questão de fazer uma reclamação formal contra o estabelecimento na internet. O motivo? Choveu todos os dias em que ele esteve hospedado. “Um absurdo”, completou, ao finalizar a queixa.


Outras reclamações


Mar barulhento

O cliente de uma pousada reclamou que o barulho das ondas do mar era muito alto e não o deixou dormir. A queixa completava dizendo que o quarto não tinha isolamento acústico contra esse tipo de barulho.

Muitos peixes

Um hóspede deu nota baixa para um hotel próximo da praia alegando que o mar tinha muito peixe, o que teria assustado os seus filhos.

Obra na rua

Um hotel recebeu nota baixa de um hóspede porque a prefeitura da cidade estava fazendo uma obra no bairro.

Réveillon na hora errada

Um cliente reclamou de um hotel porque os fogos de artifício do Réveillon começaram “antes” que ele tivesse tempo de se arrumar para assistir.

Maré baixa

O anúncio do hotel dizia que o estabelecimento era próximo ao mar, o que era verdade. O cliente, no entanto, reclamou que, no fim da tarde, a maré ficava muito baixa e ele precisou caminhar muito até a água. 

Cama boa demais

Um cliente reclamou que a cama do hotel era muito confortável, fazendo com que ele dormisse até mais tarde e perdesse o horário do café da manhã.

Fonte: TripAdvisor, Booking e pesquisa AT.

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS