Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

54 mil motoristas com mais de 70 anos no Estado

Os motoristas setentões representam cerca de 4,5% da população apta a conduzir um veículo no Estado

Aguinor Malaphaia, do jornal A Tribuna | 05/02/2022 13:51 h

O Espírito Santo tem 54.220 condutores com 70 anos ou mais com a carteira nacional de habilitação (CNH) ativa, representando 4,5% da população capixaba apta a conduzir um veículo.  

Os dados são do Departamento Estadual de Trânsito do Espírito Santo (Detran/ES). Desse total, 42.727 são habilitados para a categoria B.

De acordo com o subgerente de Processos de Habilitação do Detran/ES, Fernando Stockler Simões, isso é benéfico para esses idosos, pois proporciona sensação de liberdade. “De uma forma geral, dirigir depois dos 70 anos gera sensação de independência, que o idoso adquiri desde jovem, além de bem-estar psicológico e interação social”, explicou. 

Segundo ele, é normal o fato de o número de infrações de trânsito desse público ser menor. “Se o idoso percebe que o reflexo está ficando mais demorado, ele acaba dirigindo mais devagar, por isso é mais lento e cuidadoso”.

Para o diretor da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), Dirceu Rodrigues Alves, quatro funções básicas são exigidas para dirigir: percepção, cognição, motora e sensibilidade. “À medida que a idade avança, elas começam a ser afetadas”, afirmou.

Segundo ele,  com os anos, esses idosos começam a passar por algumas alterações na saúde, tais como: mudança no tempo de reação, disfunções visuais, além de alterações cognitivas e musculares.

“Tudo isso precisa ser observado pelos familiares, para avaliar se a pessoa tem capacidade de dirigir um veículo com segurança, principalmente em dias de chuva, de noite e em horários de pico”.

Renovação

Stockler explicou também que em abril de 2021, o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) passou por uma alteração e permite que a carteira de motorista de condutores com idade entre 50 e 70 anos fique válida por cinco anos. 

“Para condutores com mais de 70 anos, o prazo de validade permanece três anos. No entanto, existe uma previsão do CTB para reduzir esse tempo, caso o médico avalie que o idoso tenha alguma incapacidade”, explicou.

Atenção Plena

Dirigia caminhão aos 9 anos

Imagem ilustrativa da imagem 54 mil motoristas com mais de 70 anos no Estado
  

A aposentada Valéria Costa Ignez, 70 anos, aprendeu a dirigir  ao lado do pai. “Tirei a carteira depois dos 18. Quando fico nervosa ou estressada, deposito toda minha atenção no volante, esquecendo dos meus problemas”, contou.

Outro que tem experiência com direção é José Humberto de Oliveira, aposentado de 76 anos.

“Aos 9 anos eu já dirigia caminhão em Afonso Cláudio, mas só fui tirar minha habilitação com 18 anos”, disse.

"Dirijo com muita cautela"

Imagem ilustrativa da imagem 54 mil motoristas com mais de 70 anos no Estado
  

A aposentada Anathildes Barcellos Vambom, de 73 anos, dirige desde os 18 e  é apaixonada por direção. “Não dirijo como os jovens, mas procuro orientá-los sempre que posso”, detalhou.

Ela disse quase se envolveu em um acidente, vindo de Pedra Azul para a capital. “Costumo manter uma distância considerável de um carro para o outro e isso me livrou. Dirijo com muita cautela”.

Saiba Mais

Os números

> No estado,  54.220 condutores, a partir dos 70 anos, estão com a habilitação ativa.

> Esse número representa 4,5% da população capixaba habilitada.

> Desse total, 42.727 são habilitados para a categoria B.

Renovação

> Em abril de 2021, o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) passou por uma alteração e permite que a carteira de motorista de condutores com idade entre 50 e 70 anos seja válida por cinco anos. Para condutores acima dessa idade, a renovação da CNH deve ser feita a cada três anos, diferente dos 10 anos para os condutores de idade inferior. Existe uma previsão do CTB para reduzir esse tempo, caso o médico avalie que o idoso tenha alguma incapacidade.

Fonte: Detran/ES.

Os reflexos diminuem e é preciso redobrar a atenção”

Rosana Carlesso, psicóloga

“É nesta fase da vida que os cuidados ao volante devem ser redobrados. No entanto, isso não significa que a pessoa mais velha tende a ser mais 'perigosa' no trânsito do que a mais jovem. 

Existe um senso comum de implicar com os condutores de idade avançada, chamando-os de barbeiros e de atrapalharem o fluxo dos veículos. 

Mas é preciso entender que ele não têm tanto compromisso, não tem pressa. O ritmo de vida na terceira idade  é outro. Importante destacar que nesta fase, os reflexos diminuem e, por isso, a atenção precisa ser redobrada. 

O idoso precisa fazer um autojulgamento e ter bom senso. Às vezes, ele considera o ato de dirigir uma independência, mas existe o risco.

Um acidente, mesmo o mais leve, pode trazer consequências graves, que acaba  tirando essa independência do idoso.”

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS