X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

2020 já tem recorde de reclamações no Disque-Silêncio

| 12/02/2020 17:28 h | Atualizado em 12/02/2020, 17:50

Moradores de Santa Luíza, em Vitória, mostram registros no Disque-Silêncio feitos contra um casa de show no bairro
Moradores de Santa Luíza, em Vitória, mostram registros no Disque-Silêncio feitos contra um casa de show no bairro |  Foto: Leone Iglesias / AT

O mês de fevereiro não chegou nem na metade e as prefeituras da Grande Vitória já possuem 1.846 reclamações sobre som alto acima do permitido. Vila Velha lidera o número de reclamações, seguida por Vitória, Serra e Cariacica.

No período de 1º de janeiro a 10 de fevereiro, em comparação ao ano passado, o número de denúncias aumentou em Vila Velha. Em 2020, 872 reclamações foram feitas ao Disque-Silêncio, 91 a mais do que em 2019.

O ouvidor-geral da Prefeitura de Vila Velha, Alexandre Salgado, afirmou que o aumento das notificações foi em função das festas nas férias e do movimento do turismo na orla. “Além disso, cresceu o número de bares e restaurantes na praia com música ao vivo e som alto, o que gera as reclamações”, disse.

Já Vitória bateu o recorde de notificações em cinco anos, com 444 chamados. No mesmo período do ano passado, foram 302 notificações. Em 2018, 233. No ano de 2017, 218 reclamações foram feitas. Já em 2016, 181 denúncias sobre o barulho foram realizadas. E em 2015, o número foi de 211 notificações.

De acordo com informações da Secretaria de Meio Ambiente de Vitória, até 10 de fevereiro deste ano foram lavrados 15 autos de constatação (advertências) e três autos de infração, com valores entre R$ 3.246,27 e R$ 6.598,88.

Moradores de Santa Luíza, em Vitória, reclamam de uma nova marina com casa de show, que foi construída no bairro e desde novembro do ano passado tem tirado o sossego da vizinhança. Em Vitória, a tolerância máxima para áreas residenciais é de 55 decibéis.

“Já fizemos várias notificações ao Disque-Silêncio. A fiscalização veio na minha casa e registrou 66 decibéis, proveniente da marina, muito acima do limite”, contou a dona de casa Tarsilayne Dias, 32.

Na Serra, houve queda das reclamações no Disque-Silêncio. No ano passado, foram 322 denúncias de 1º de janeiro a 10 de fevereiro. No mesmo período deste ano foram 278, todas atendidas.

Para a secretária de Meio Ambiente da Serra, Áurea Almeida, a queda deve-se ao trabalho preventivo. “Nós identificamos os bairros onde havia mais reclamações e investimos em abordagens, orientando sobre a poluição sonora de forma preventiva”, explicou.

Cariacica recebeu neste ano 252 denúncias. Em 2019, foram 90 notificações durante o ano inteiro.

Imagem ilustrativa da imagem 2020 já tem recorde de reclamações no Disque-Silêncio

Moradores entraram na Justiça para evitar barulho

O excesso de barulho emitido por uma marina e casa de shows recém-inaugurada no bairro Santa Luíza, em Vitória, às margens do Canal de Camburi, tem causado reclamações por parte dos moradores. Eles acionaram a Justiça e uma audiência está agendada para o mês de abril.

De acordo com a dona de casa Tarsilayne Dias, de 32 anos, a principal queixa é o som alto que segue até a madrugada.

“O bairro era residencial. Tem gente que mora aqui há 50 anos. O som que eles fazem nos finais de semana é um horror. A fiscalização do Disque-Silêncio de Vitória fez a medição uma vez e deu 66 decibéis dentro da minha casa. Isso é um absurdo, muito acima do limite. Eles não têm isolamento acústico”.

A Prefeitura de Vitória disse que o estabelecimento está licenciado, mas que tem um auto de infração. “Através do Disque-Silêncio, informamos que há denúncias sobre o barulho e que já lavrou um Auto de Constatação e um Auto de Infração, na semana passada, no valor de R$ 8.465,35. O responsável tem um prazo legal de 20 dias para recorrer”, afirmou a nota.

Um dos donos e sócios do estabelecimento, Wander Paiva explicou que o local ainda passa por melhorias desde a inauguração, em novembro do ano passado.

“Estamos recebendo as reclamações de som alto e tentamos minimizar os problemas. Vamos providenciar o isolamento acústico ainda nesta semana. Estou disposto a resolver e vou recorrer da multa que recebemos”, afirmou.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS