search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Chefe de vigias de prefeitura no Estado é acusado de roubar equipamentos públicos

Notícias

Publicidade | Anuncie

Polícia

Chefe de vigias de prefeitura no Estado é acusado de roubar equipamentos públicos


Material recuperado na casa do vigilante, em Nova Venécia (Foto: Divulgação/PCES)
Material recuperado na casa do vigilante, em Nova Venécia (Foto: Divulgação/PCES)

Um homem de 50 anos está sendo investigado pela Delegacia Especializada de Investigações Criminais (Deic) de Nova Venécia, por furtar objetos da Prefeitura Municipal, onde ele exercia o cargo de chefe dos vigias.

Nesta quarta-feira (12), os policiais foram até a casa do acusado cumprir um mandado de busca e apreensão, no bairro Margareth, e conseguiram recuperar o material furtado. Em depoimento na delegacia, ele confessou o crime.

Segundo o titular da Deic de Nova Venécia, delegado Eduardo Pimenta Mota, o servidor afirmou que pegava os objetos para uso próprio. 

"Em depoimento, ele confessou os furtos e alegou que os objetos eram para uso próprio. Acreditamos que esse servidor estaria revendendo os objetos furtados há algum tempo, mas isso, ainda, é objeto de investigação na nossa delegacia", disse.

Ainda de acordo com o delegado, entre os objetos recuperados, está uma caixa de som, avaliada em R$ 4 mil reais.

"Na residência dele foram apreendidos dois computadores completos, sendo que um deles tinha webcam e caixas de som, um notebook amarelo, dois retroprojetores, um conjunto de mesas infantis com quatro cadeiras, duas mesas, duas cadeiras, um violão e uma caixa de som, avaliada em R$ 4 mil", explicou Eduardo Pimenta.

Como não havia flagrante, o homem vai responder, inicialmente, em liberdade e poderá ser indiciado por peculato furto, descrito no artigo 312 do Código Penal, que prevê pena de prisão de dois a 12 anos.

Agora, as investigações continuam. “Destacamos a importância da denúncia anônima. Caso tenham informações, a pessoa pode denunciar pelo Disque-Denúncia 181 ou pelo site disquedenuncia181.es.gov.br. Todas as informações fornecidas serão apuradas”, garantiu o delegado.

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados