search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Casos de "falsa miopia" aumentam com uso excessivo de telas durante a pandemia

Notícias

Publicidade | Anuncie

Saúde

Casos de "falsa miopia" aumentam com uso excessivo de telas durante a pandemia


O aumento do uso de dispositivos eletrônicos durante a pandemia de Covid-19 por conta da escola ou da rotina de trabalho, além das atividades de lazer, tem afetado a vista de muitas pessoas. Entre as campeãs de reclamações nos consultórios de oftalmologia devido ao esforço ocular em excesso estão a síndrome do olho seco e a “falsa miopia”.

Jovem usa celular e notebook. (Foto:  Leone Iglesias/AT)Jovem usa celular e notebook. (Foto: Leone Iglesias/AT)

Os principais sintomas relatados, segundo especialistas, são cansaço ocular, vista embaçada, coceira, vemelhidão, ardência e queimação.

Segundo a oftalmologista Klícia Molina do Hospital de Olhos de Vitória, geralmente, isso acontece devido ao ressecamento dos olhos. Ela explica que, quando se fixa muito os olhos em telas, pisca-se menos e o olho fica mais ressecado.

“Como a gente tem ficado cada vez mais perto das telas, em ambientes fechados, o músculo do olho fica permanentemente contraído, tendo dificuldades para relaxar. Esse aumento de casos tem muita relação com a pandemia, que trouxe novos hábitos de vida. O tempo de trabalho em frente ao computador aumentou”, disse.

Não são somente adultos que têm sido afetados por esses problemas, mas também crianças e adolescentes.

“Essas queixas, antes da pandemia, eram mais recorrentes aos grupos de pessoas que trabalham muito com computador. Agora, com o home office e as crianças em casa, acaba que a exposição à tela aumentou, trazendo esses problemas a esse grupo que não era tão afetado”, explicou o oftalmologista Fernando Baldessin Marim.

“Antes, eu atendia de duas a três pessoas por dia por conta desses problemas. Hoje, atendo cinco”, comparou.

Os dois problemas podem ser tratados e não precisam de uso de óculos. Reduzir a frequência no uso de telas ou, caso não seja possível, fazer intervalos a cada 20 minutos, e olhar, por 20 segundos, um objeto a 20 metros, para que o músculo dos olhos descontraia, além de usar colírio para lubrificar os olhos, podem ajudar.

“Tem de dar pausas no uso de telas, mesmo que por alguns minutos, piscar adequadamente, pois quando piscamos, os olhos são lubrificados pelas lágrimas”, frisou a oftalmologista Liliane Nóbrega.

Intervalos a cada 20 minutos

Os problemas

  • Por conta do aumento de uso de dispositivos eletrônicos, a síndrome do olho seco e a falsa miopia têm sido as campeãs de reclamações nos consultórios de oftalmologia durante a pandemia.
  • A chamada falsa miopia acontece devido ao excesso de atividades de leituras perto dos olhos, fazendo com que o músculo ciliar, que fica dentro dos olhos, fique contraído por muito tempo, ocasionando a perda da capacidade de relaxamento deste músculo. Esse músculo tende a relaxar quando se observa objetos de longe.
  • É diferente da miopia, que é um erro refrativo, em que os olhos podem ver nitidamente de perto, mas não são capazes de enxergar claramente os objetos que estão longe. Nesses casos, é necessário o uso de óculos
  • Na síndrome do olho seco, não existe produção de lágrimas em quantidade suficiente para manter os olhos lubrificados.

Sintomas

  • Os Principais sintomas relacionados a esses problemas são cansaço ocular, vistas embaçadas, coceira, vemelhidão, ardência e queimação.

Cuidados

Os dois problemas podem ser tratados e não precisam de uso de óculos.

  • Reduzir a frequência no uso de telas ou, caso não seja possível, fazer intervalos a cada 20 minutos e olhar, por 20 segundos, um objeto a 20 metros, para que o músculo dos olhos descontraia podem ajudar, além de usar colírio, indicado por especialistas, para lubrificar os olhos.
  • Evitar ar-condicionado e ventilador na direção dos olhos também ajuda bastante na prevenção de ambos os problemas.
  • Usar filtro protetor da luz azul também é importante. Para quem já tem problema de vista é importante manter o óculos em dia, ou seja, com o grau correto.
  • O uso de óculos de sol, tanto em dias ensolarados como nublados, é importante para proteger os olhos de radiação solar e, assim, evitar o desenvolvimento de doenças causadas por raios ultravioletas.
  • Fazer consultas, ao menos uma vez a ano, ao oftalmologista, pois é importantes para garantir a saúde dos olhos e diagnosticar de maneira precoce problemas na visão.
Fonte: Especialistas consultados.