search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Capixaba é campeã brasileira de vela depois de 13 anos

Esportes

Esportes

Capixaba é campeã brasileira de vela depois de 13 anos


A capixaba Odile Ginaid voltou a ser campeã brasileira feminina na classe Laser Radial (Foto: André Silva)
A capixaba Odile Ginaid voltou a ser campeã brasileira feminina na classe Laser Radial (Foto: André Silva)

Na virada do ano, é comum traçar objetivos e mirar novas conquistas para a nova temporada. A capixaba Odile Ginaid já alcançou sua primeira meta e inicia 2020 em águas tranquilas. Depois de 13 anos, a “Dama da Vela” voltou a conquistar o título do Campeonato Brasileiro de Laser Radial na classe feminina.

Disputada no último final de semana, no Lago Paranoá, em Brasília (DF), a competição nacional teve recorde de participações, com 90 barcos na água. A velejadora capixaba foi estratégica e optou pela regularidade, em vez de correr riscos. Em seis das sete regatas, a atleta do Iate Clube e da Marinha do Brasil conseguiu terminar entre as 10 primeiras colocadas.

Odile não vencia a competição desde 2007. Além do título na classe feminina, onde superou as cariocas Gabriela Kidd e Mariana Mirow, ela ainda terminou em segundo lugar geral, entre homens e mulheres, superando o resultado do ano passado na categoria, quando ficou em terceiro lugar.

“Iniciar o ano com essa conquista te dá um gás a mais (risos). Para o Brasileiro, eu estava superpreparada, analisei tudo”, destaca a atleta e 3º sargento, de 33 anos, que explicou a estratégia adotada na prova.

Odile Ginaid com o troféu de campeã (Foto: André Silva)
Odile Ginaid com o troféu de campeã (Foto: André Silva)
“É melhor não se arriscar, por exemplo, em uma largada indo para um lado diferente da raia e acabar velejando sozinha. Às vezes tinha vontade de esticar um pouco mais, mas sempre pensava que, se desse errado, 20 me passariam. Por isso, optei por velejar com o grupo”.

Odile não tem mais chances de se classificar para as Olimpíadas de Tóquio. As vagas para a classe laser radial foram definidas na Seletiva Sul-Americana do ano passado e ela ficou em quinto lugar.

A meta dela, agora, além de buscar o 12º título no Estadual, é disputar o Campeonato Sul-Americano, que acontecerá no Rio de Janeiro, no fim do ano. Odile também participa de um projeto capixaba com outros cinco velejadores homens, no barco “+ Bravíssimo”, que defenderá o título da Semana Internacional de Ilha Bela, em julho.

A meta dela, agora, além de buscar o 12º título no Estadual, é o Campeonato Sul-Americano, que acontecerá no Rio de Janeiro, no fim do ano. Odile ambém está participando de um projeto capixaba com outros cinco velejadores homens, no barco “+ Bravíssimo”, que defenderá o título da Semana Internacional de Ilha Bela, em julho, e também vai participar do Circuito Rio, neste ano, na classe ORC-B.

João Pedro entre os 10 melhores

Outro atleta do Espírito Santo se destacou na competição em Brasília. Também velejador do ICES, João Pedro Medeiros, de 17 anos, ficou em 9º lugar na classe sub-19, além de 35º geral. Ele segue disputando o Brasileiro de Laser, agora na classe 4.7, que termina na quinta-feira (16).


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados