search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Calendário perverso
Gilmar Ferreira
Gilmar Ferreira

Gilmar Ferreira


Calendário perverso

O Bayern de Munique venceu o Tigres do México, ontem, por 1 a 0, com gol mal validado pelo VAR, e mesmo sem encantar levou seu quarto título de campeão mundial de clubes - havia conquistado em 1976, 2001, 2013 e 2020. Algo já esperado, fosse quem fosse seu adversário em função do maior poderio econômico — a gente sabe. Aliás, neste ponto, a superioridade não é só do time alemão, em si, mas do representante do continente europeu.

Qualquer outro entre os seis primeiros do ranking da Uefa teria semelhante facilidade. E a prova maior é o placar de 13 a 1 em favor dos europeus nas últimas 14 edições do Mundial.

Mas, para nós, a discussão por ora me parece outra. Porque o fato de o Palmeiras não ter feito o esperado duelo entre sul-americanos e europeus embute um dado talvez emblemático — e de responsabilidade exclusiva da Conmebol.

Nas dez edições entre 2005 e 2015, apenas duas vezes um clube sul-americano deixou de fazer a final — por acaso, brasileiros: Internacional, em 2010, e Atlético/MG, em 2013.
E nas cinco outras, entre 2016 e 2020, em três os sul-americanos caíram nas semifinais: o Atlético Nacional, em 2016, o River Plate, em 2018, e agora o Palmeiras, batido pelos mexicanos.
Mudança

E este é o detalhe: 2016 é o ano que marca a mudança no calendário de competições da Conmebol, que resolveu alongá-lo, passando as finais das Libertadores e Sul-Americana para o final da temporada e não mais no meio do ano. Ou seja: em cinco anos, os campeões do continente experimentaram um dissabor que nos dez anos anteriores só havia ocorrido duas vezes.

Os desgastes físico e emocional dos play-offs do torneio, em paralelo à fase final do Brasileiro e até da Copa do Brasil, minam a energia de tal forma que sequer é possível festejar a conquista do título que os leva ao Mundial.

Isso, no mínimo, iguala forças competitivas dos sul-americanos com a de asiáticos, africanos e mexicanos.
Já escrevi e repito: o time do Palmeiras não é o melhor do continente. Mas, mesmo desfalcado de jogadores estratégicos, a falta de ímpeto vista os jogos contra o Tigres e Al Ahly tem mais a ver com problemas relacionados à cabeça do que aos pés...

Brasileirão

Bem avisei por aqui que a vantagem de quatro pontos do Internacional sobre o Flamengo não indicava que o título tinha dono. Como ainda não significa que os cariocas estejam com a mão na taça.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas impressões

Dos onze jogadores que Rogério Ceni levou a campo para a final da Supercopa do Brasil, na manhã de ontem, em Brasília, apenas quatro não jogaram em clubes europeus: Willian Arão, Rodrigo Caio, …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Os superclubes...

Grosso modo, levando em consideração que no Brasileirão de pontos corridos as partidas decisivas são aquelas contra os mais diretos concorrentes, sinto-me em condições de dizer que o Flamengo perdeu …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

O último suspiro

O projeto de reformulação administrativa, econômico-financeira e organizacional anunciado pelo Botafogo no início da semana é sopro de esperança na retomada da capacidade de investimento. Jorge …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Euforia e depressão

Alinhar a eficiência do time com a paciência da torcida talvez seja o maior dos desafios que as diretorias de Botafogo e Vasco terão pela frente até o final deste segundo ano pandêmico. Porque a …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas impressões

A vitória por 3 a 2 sobre o Nova Iguaçu deu ao Volta Redonda a liderança provisória do Carioca. E a três rodadas do final da fase classificatória, já não se discute até onde poderá chegar o vice-camp…


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Entre flores e espinhos...

A vitória do Flamengo sobre o Bangu na sétima rodada do Carioca, no retorno do time principal, trouxe a irritante euforia desmensurada já vista em outros momentos sob o comando de Rogério Ceni. O …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Balanço negativo...

Quando Rogério Caboclo disse sem meias palavras que os clubes brasileiros estariam em maus lençóis se a CBF não peitasse o discurso da paralisação do futebol o presidente da entidade pode ter …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas impressões...

O Botafogo foi o único dos quatro grandes do Rio a vencer na sexta rodada do Campeonato Carioca. Um torneio em que três dos chamados pequenos estão à frente do Fluminense e do próprio Botafogo, e …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

A máquina de moer...

Ainda que sejam a cada ano mais irrelevantes, os Estaduais seguem atormentando os técnicos no Brasil. Principalmente os contratados para montar trabalhos autorais e ensaiar sistemas que …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Efeitos colaterais

A decisão de limitar em dois o número de treinadores inscritos por cada clube nos Brasileiros das Séries A e B deste ano ainda não foi totalmente digerida. Mas alguns experientes profissionais já …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados