X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Brasil

Preços de medicamentos para hospitais caíram 0,16% em janeiro, afirma Fipe/Bionexo


Os preços dos medicamentos comprados pelos hospitais caíram 0,16% na passagem de dezembro para janeiro, conforme o Índice de Preços de Medicamentos para Hospitais (IPM-H). A queda foi levemente maior que a do mês anterior, quando os preços recuaram 0,14%, e representou o nono recuo consecutivo do índice no histórico mensal. O IPM-H é calculado pela Fipe a partir de dados de transações realizadas na plataforma Bionexo - empresa de tecnologia SaaS, líder em soluções para gestão em saúde.

Em termos comparativos, a inflação ao consumidor em janeiro, medida pelo IPCA, foi de 0,31%, sendo acompanhada por discreta alta nos preços apurados pelo IGP-M, de 0,07%. Além disso, dados divulgados pelo Banco Central indicaram que a taxa média de câmbio registrou alta de 0,35% no último mês, o que corresponde a uma depreciação da moeda brasileira no mercado.

Individualmente, os grupos terapêuticos que integram a cesta do IPM-H registraram os seguintes comportamentos em janeiro: aparelho geniturinário, 4,30%; sistema musculoesquelético, 1,61%; aparelho digestivo e metabolismo, 0,95%; órgãos sensitivos, 0,76%; sistema nervoso, 0,75%; agentes antineoplásicos, 0,33% e preparados hormonais, 0,01%.

Já as quedas foram de 2,38% nos medicamentos para aparelho cardiovascular; 1,71% nos remédios para tratamento do aparelho respiratório; 1,61% nos medicamentos para sangue e órgãos hematopoiéticos; 0,83% nos anti-infecciosos gerais para uso sistêmico; e 0,51% nos imunoterápicos, vacinas e antialérgicos.

Em 12 meses, os preços dos medicamentos para hospitais medidos pelo IPM-H registraram uma queda de 3,90%. Esse resultado pode ser atribuído ao recuo na maioria dos grupos terapêuticos incluídos na cesta do índice.

Os preços dos remédios para o sistema nervoso recuaram 22,74%; os de sangue e órgãos hematopoiéticos, 12,50%; os do aparelho digestivo e metabolismo, 8,17% e os do aparelho cardiovascular, 5,02%. Ainda, ficaram mais baratos os para sistema musculoesquelético (-4,66%), os anti-infecciosos gerais para uso sistêmico (-2,82%), os preparados hormonais (-2,09%) e os imunoterápicos, vacinas e antialérgicos, (-1,82%).

Os demais grupos terapêuticos, em contraste, registraram valorização nos últimos 12 meses. Os medicamentos do aparelho geniturinário subiram 9,18%; os do aparelho respiratório, 4,78%; os dos órgãos sensitivos, 3,65% e os agentes antineoplásicos, 2,03%.

"As variações observadas nos últimos dois meses foram bem discretas e não fugiram do padrão sazonal esperado para o período inicial do ano", ponderam, em nota, os técnicos responsáveis pelo levantamento. "Com a proximidade dos reajustes anuais dos medicamentos, em abril, e de mudanças nas alíquotas do ICMS em alguns Estados, são grandes as chances de interrupção na série de resultados negativos do IPM-H", completam.

Em um horizonte ampliado, que leva em consideração a trajetória dos preços de medicamentos para hospitais desde o início da pandemia, o IPM-H acumula uma alta nominal de 12,40%. Esse resultado pode ser atribuído à estabilidade dos preços com a vacinação e queda dos números da covid-19, notadamente em medicamentos anti-infecciosos, fármacos atuantes sobre os sistemas nervoso e musculoesquelético, bem como aqueles relacionados ao aparelho digestivo e metabolismo.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: