X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Brasil

Polícia prende ao menos 60 suspeitos por crimes como assaltos e saques em meio às chuvas no RS


Pelo menos 60 suspeitos já foram presos desde o último dia 2 por crimes como assaltos e saques em municípios do Rio Grande do Sul, segundo balanço da Secretaria da Segurança Pública do Estado. As prisões foram efetuadas pela Brigada Militar e pela Polícia Civil, que têm atuado para amenizar a insegurança diante da situação gerada pelas fortes chuvas.

Até o momento, mais de 2,1 milhões de gaúchos já foram afetados pelas chuvas no Estado. Entre eles, 532 mil estão desalojados e 81 mil, recolhidos em abrigos. Já são 143 óbitos confirmados em todo o Rio Grande do Sul. Além disso, há 131 desaparecidos e 806 feridos.

Criminosos têm se aproveitado da situação de vulnerabilidade da população. Neste sábado, 11, a Brigada Militar prendeu quatro homens e apreendeu um menor de idade por um furto em Esteio, a 24 quilômetros de Porto Alegre. Os acusados, segundo a corporação, estavam levando pertences de um estabelecimento em área atingida pelas enchentes.

Já a Polícia Civil localizou, durante patrulhamento náutico realizado na zona norte de Porto Alegre, um depósito suspeito de ser usado para armazenamento de produtos furtados de residências e estabelecimentos comerciais durante as chuvas. Em vídeo publicado nas redes sociais, é possível ver inclusive um skate entre os objetos apreendidos.

Os episódios de violência ocorrem também em outras cidades. Como mostrou o Estadão na última semana, moradores de Canoas, na região metropolitana de Porto Alegre, relatam roubos de barcos usados emergencialmente para resgates de desabrigados para saquear as residências alagadas.

A Brigada Militar confirmou as ocorrências, com assaltantes armadas abordando os barcos de voluntários, além de arrombamentos de residências e saques na região metropolitana de Porto Alegre, como Canoas e Eldorado, e também no município de Arroio do Meio.

"Assaltantes aproveitaram o momento em que as forças policiais estavam ajudando no resgate e no salvamento de vidas para praticar esses atos. Nós tínhamos de definir prioridades: estávamos salvando vidas", afirmou na última semana o Coronel Douglas, subcomandante da Brigada Militar.

Na última quinta-feira, 9, além disso, seis pessoas foram presas por suspeita de cometerem crimes sexuais em abrigos destinados a vítimas das enchentes.

Segundo a Polícia Civil, que investiga os casos, um dos crimes teria ocorrido em Viamão, município do interior gaúcho. O suspeito foi preso preventivamente pelo crime de estupro de vulnerável.

Por determinação do ministro da Justiça e Segurança Pública (MJSP), Ricardo Lewandowski, a Força Nacional de Segurança Pública (FNSP) enviou equipes para atuar no policiamento ostensivo do Estado, além de garantir a segurança dos abrigos que recebem os atingidos pelas enchentes. O efetivo da corporação no local deve chegar a 300 até a próxima semana.

Além disso, outros Estados, como Paraná, Santa Catarina e São Paulo, têm buscado prestar suporte às forças de segurança gaúchas não só nos resgates, como no policiamento ostensivo das regiões afetadas e dos abrigos para onde a população tem sido encaminhada. Agentes da Polícia Federal também auxiliam nas ações.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: