X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Brasil

PF suspende prazos de todos seus inquéritos no Rio Grande do Sul


A Corregedoria-Geral da Polícia Federal informou o Conselho Nacional da Ordem dos Advogados do Brasil nesta terça-feira, 14, que suspendeu todos os prazos das investigações de sua competência em curso no Rio Grande do Sul, castigado pelas enchentes que já deixaram quase 150 mortes e mais de 500 mil desalojados.

A medida foi comunicada por meio de ofício do delegado Licínio Nunes de Moraes Netto, assessor técnico da Corregedoria, ao presidente da OAB, Beto Simonetti. A suspensão dos prazos seria inicialmente para o período entre 11 e 17 de maio, 'devendo ser prorrogada na esteira da determinação judicial'.

Ficam suspensos todos os inquéritos em andamento na superintendência regional da PF no Rio Grande do Sul e também nas delegacias federais que operam em cidades do interior.

"A suspensão dos prazos é essencial para assegurar que a população não sofra prejuízos devido à impossibilidade de cumprir com as obrigações legais em face das condições adversas", declara Beto Simonetti.

Para o presidente da OAB, 'é fundamental reconhecer e agradecer à Polícia Federal pela rápida atenção ao pedido da OAB'. "A colaboração entre as instituições é vital para a proteção dos direitos dos cidadãos e representa uma demonstração de sensibilidade e comprometimento com a população do Rio Grande do Sul."

Nesta segunda, 13, em atenção a um pedido da OAB, o ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Conselho Nacional de Justiça, e o ministro Luis Felipe Salomão, Corregedor Nacional de Justiça suspenderam, até o dia 31, as audiências das sessões de julgamento que envolvam o RS e seus municípios.

A medida atinge ações que tramitam nos Tribunais de todo país, inclusive nos Conselhos Nacional de Justiça, da Justiça Federal e Superior da Justiça do Trabalho. Também abarca processos oriundos da Justiça do Estado, com representação exclusiva por advogados gaúchos e participação das instituições do Estado - Ministério Público e Defensoria Pública.

Os prazos processuais de ações envolvendo o Rio Grande do Sul também estão suspensos até o dia 31.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: