X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Brasil

Palacete tombado corre risco de desabar em SP


A Prefeitura de São Paulo pretende destombar o "casarão das muletas", patrimônio histórico da cidade localizado na região central. A administração estuda reformar ou demolir o palacete, que corre o risco de desabamento. Tombado como patrimônio histórico desde 2002, o casarão fica no bairro da Bela Vista, na altura do número 376 da Rua Artur Prado.

No sábado, 13, parte da habitação, que se encontra abandonada, deteriorada e sustentada por uma série de estacas de madeira - que dá origem ao apelido "das muletas" -, cedeu e assustou moradores do entorno. A Defesa Civil esteve no local e constatou que o palacete corre o risco de colapsar. A queda parcial da construção levou também à interdição de parte do imóvel vizinho.

Laudo

De acordo com a Prefeitura, o local já havia sido interditado pela Subprefeitura da Sé, cujos técnicos, segundo informou a administração em nota, "farão um laudo para o destombamento do casarão perante o risco iminente". "Com a decisão dos órgãos de patrimônio, seja restauração ou demolição, a Subprefeitura da Sé tomará as providências com o proprietário do imóvel", disse a Prefeitura no comunicado.

Em entrevista à TV Globo na segunda-feira, 15, o subprefeito da Sé, Álvaro Camilo, definiu a situação como "emergencial", e garantiu que "os moradores não terão de pagar pelo laudo" de análise.

Conforme consta no site São Paulo Antiga, o casarão da Bela Vista foi construído em 1913 e serviu de "residência para a família Ribeiro da Luz até meados da década de 80"". O local não serve como residência há anos e, apesar de ser tombado como patrimônio histórico, se deteriorou a ponto de correr o risco de desabar.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: