X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Brasil

Lesa Pátria: PF mira possível financiador dos ataques do 8 de janeiro

É cumprido um mandado de busca e apreensão, autorizado pelo STF (Supremo Tribunal Federal), em Itapetininga (SP)


Imagem ilustrativa da imagem Lesa Pátria: PF mira possível financiador dos ataques do 8 de janeiro
Fachada da sede da Polícia Federal |  Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Polícia Federal realiza nesta terça-feira (27) a 13ª fase da Operação Lesa Pátria com o objetivo é identificar possível financiador dos ataques golpistas do 8 de janeiro.

É cumprido um mandado de busca e apreensão, autorizado pelo STF (Supremo Tribunal Federal), em Itapetininga (SP). A identidade da pessoa não foi divulgada.

Os fatos em apuração constituem, em tese, os crimes de abolição violenta do Estado democrático de Direito, golpe de Estado, dano qualificado, associação criminosa, incitação ao crime, destruição e deterioração ou inutilização de bem especialmente protegido.

TSE retoma julgamento que pode levar à inelegibilidade de Bolsonaro

Nesta segunda-feira, o STF formou maioria para tornar réus mais 45 envolvidos nos ataques golpistas. Entres eles está Antônio Cláudio Alves Ferreira, flagrado pelas câmeras de segurança do Palácio do Planalto destruindo o relógio histórico trazido ao Brasil por dom João 6º, em 1808.

Já votaram pela abertura das ações penais os ministros Alexandre de Moraes (relator), Gilmar Mendes, Edson Fachin, Cármen Lúcia, Luiz Fux e Luís Roberto Barroso.

Pai esfaqueia filho em briga por pedaço de lasanha em MS

No caso de Ferreira, Kassio Nunes Marques e André Marques, ambos indicados por Jair Bolsonaro (PL), votaram pelo reconhecimento da competência da primeira instância da Justiça Federal para julgar o caso e, no mérito, pelo recebimento da denúncia.

A reportagem não conseguiu localizar a defesa de Ferreira, que deixou de se manifestar, inclusive, nos autos do processo, segundo informação registrada por Moraes em seu relatório.

Com mais essa leva de denúncias da PGR (Procuradoria-Geral da República) analisadas, sobe para 1.290 o número de apoiadores do ex-presidente que serão processados pela corte, a maioria sob a acusação de incitar as Forças Armadas contra os Poderes e de associação criminosa.

Caminhão com 1 tonelada de maconha tomba em frente a batalhão da PM

A análise é feita no plenário virtual do Supremo, com a inserção dos votos no sistema eletrônico do tribunal. O julgamento será concluído às 23h59 desta segunda.

Embora ainda existam cem denúncias da Procuradoria pendentes de análise, o STF deu início nesta semana à fase de audiências de 232 processos já instaurados, com depoimentos de testemunhas de defesa e de acusação, além de interrogatórios dos réus.

As audiências ocorrem por meio de videoconferência e são realizadas por quatro juízes que atuam em auxílio a Moraes. Elas devem ser finalizadas até 31 de julho.

Tiveram prioridade as pessoas que seguem presas e são acusadas de crimes mais graves, como

tentativa de abolição violenta do Estado democrático de Direito, tentativa de golpe de Estado, dano qualificado e deterioração de patrimônio público tombado.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: