X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Brasil

Justiça recebeu 6 avisos de violação da tornozeleira de sequestrador no Rio

Ministério Público já havia pedido, pelo menos três vezes, a volta de Paulo à prisão


Imagem ilustrativa da imagem Justiça recebeu 6 avisos de violação da tornozeleira de sequestrador no Rio
Paulo Sergio de Lima usava a tornozeleira desde 2022 |  Foto: Reprodução/SBT News

A Justiça foi informada seis vezes que Paulo Sergio de Lima, 29, preso por sequestrar um ônibus na rodoviária do Rio de Janeiro nesta terça-feira (12), tinha violado a tornozeleira eletrônica.

Paulo Sergio de Lima ganhou direito de usar tornozeleira em março de 2022, mas violou equipamento a partir de junho daquele ano. Ele havia sido preso em 2019 por roubo a passageiros de ônibus.

A violação foi comunicada pela primeira vez à Justiça em agosto de 2022. Além disso, segundo o governo do Rio, mais cinco violações na tornozeleira de Paulo foram comunicadas à Justiça.

O Ministério Público tinha pedido, pelo menos três vezes, a volta de Paulo à prisão. O MPRJ afirmou ao UOL que pediu à Vara de Execuções Penais por duas vezes e não teve retorno. O último pedido para que ele voltasse ao semiaberto foi feito em 20 de março de 2023, informou o MP.

A regressão de Paulo Sergio ao regime semiaberto só foi determinada pela Justiça na terça. A decisão ocorreu horas após a prisão dele em flagrante pelo sequestro do ônibus na Rodoviária Novo Rio.

O UOL buscou o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro e aguarda retorno sobre o assunto. O espaço será atualizado tão logo haja posicionamento.

ENTENDA O CASO

Paulo Sergio sequestrou o ônibus na Rodoviária Novo Rio, no centro do Rio de Janeiro, na tarde de terça-feira. Ele se entregou à polícia após cerca de três horas.

Dezesseis pessoas foram feitas reféns pelo homem armado, entre elas, havia 1 criança e 6 idosos, segundo a Polícia Militar. Inicialmente, a corporação divulgou que eram 18 reféns, mas corrigiu a informação posteriormente. O sequestrador manteve as vítimas no ônibus das 15h, aproximadamente, até às 18h.

Duas pessoas ficaram feridas. Um homem de 34 anos, identificado como o funcionário da Petrobras Bruno Soares, foi ferido por arma de fogo, e passou por cirurgia no Hospital Municipal Souza Aguiar, também no centro. O estado dele é grave. Outra pessoa foi atingida por estilhaços e teria sido atendida em ambulatório no próprio terminal. Os dois estavam fora do veículo.

O ônibus tinha como destino Juiz de Fora, em Minas Gerais. O coletivo era da Viação Sampaio, cuja responsável é o Grupo Guanabara que, em nota, afirmou lamentar o episódio e comunicou a presença de equipe da empresa na rodoviária para prestar apoio aos passageiros afetados pelo ocorrido. Os passageiros de qualquer uma das empresas do Grupo Guanabara com embarque na Rodoviária Novo Rio poderão remarcar as passagens sem custos adicionais.

O criminoso já possuía passagem pelo crime de roubo e foi conduzido à 4ª DP. Ele tentava fugir do estado após "desavenças com facção criminosa", segundo a PM.

A rodoviária foi reaberta por volta das 19h30 após as operações do local serem suspensas por determinação das autoridades policiais. As viagens de ontem devem ser remarcadas. "A concessionária pede que quem tenha passagem para as próximas horas, remarque sua viagem", disse o prefeito Eduardo Paes, em publicação no X (antigo Twitter).

MATÉRIAS RELACIONADAS:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: