X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Brasil

Justiça mantém prisão de acusados do assassinato de Moïse Kabagambe

Na decisão, a juíza também marcou audiências para ouvir testemunhas e a defesa dos acusados


 A Justiça do Rio de Janeiro negou pedido da defesa de dois acusados do assassinato do congolês Moïse Kabagambe, em janeiro do ano passado, e manteve a prisão preventiva deles.

Para a juíza Alessandra da Rocha Lima Roidis, da 1ª Vara Criminal, não ficou comprovado que o rumo das investigações teve mudanças que justificassem a adoção de medidas cautelares.

Imagem ilustrativa da imagem Justiça mantém prisão de acusados do assassinato de Moïse Kabagambe
Moïse foi morto em um quiosque, com chutes e pauladas |  Foto: Reprodução/Facebook

Ela classificou as agressões sofridas por Moïse como "covardes" e "totalmente desnecessárias". Na avaliação dela, o inquérito mostrou que existem provas suficientes "acerca da materialidade do crime, além de indícios de autoria".

Leia mais notícias de Brasil

Nesse sentido, constata-se que as circunstâncias fáticas destoam da reprovabilidade inerente ao tipo penal, que, frise-se, por si só, já se afigura gravíssimo, na medida em que os acusados teriam perpetrado agressões covardes e totalmente desnecessárias, consubstanciadas em diversas pauladas e chutes na vítima, a qual se encontrava completamente imobilizada." Trecho de decisão da juíza Alessandra da Rocha Lima Roidis

Os pedidos foram feitos pela defesa de Fábio Pirineus da Silva e Aleson Cristiano de Oliveira Fonseca. Eles respondem pelo assassinato de Moïse juntamente com Brendon Alexandre Luiz da Silva.

Na decisão, a juíza também marcou audiências para ouvir testemunhas e a defesa dos acusados. As pessoas elencadas pelo Ministério Público serão ouvidas no dia 7 de julho, enquanto os advogados farão a defesa no dia 28 do mesmo mês.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: