X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A Tribuna
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Brasil

FAB intercepta avião boliviano clandestino em Rondônia, que desobedece ordens e foge


A Força Aérea Brasileira (FAB) e a Polícia Federal (PF) interceptaram uma aeronave de origem boliviana que ingressou clandestinamente no espaço aéreo brasileiro, nesta quarta-feira, 26. Após constatada a presença ilegal próxima de Porto Velho (RO), a FAB iniciou o processo de interceptação da aeronave, que desobedeceu às ordens da Força e fugiu.

Procurada pelo Estadão, a embaixada da Bolívia no Brasil ainda não se pronunciou. "As ações foram adotadas por se tratar de um tráfego ilícito, que se mostrou não colaborativo e desobedeceu a todas as orientações feitas pela defesa aeroespacial brasileira, vindo a se evadir e ingressar no espaço aéreo da Bolívia, onde as ações foram interrompidas pelo Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE)", disse a FAB em comunicado.

A aeronave boliviana, do modelo Cessna 401A, foi detectada por radares da FAB após ações de inteligência da PF. Dois caças A-29 Super Tucano, de defesa aérea, foram usados para tentar interceptar o invasor. A força afirma que os procedimentos de defesa do espaço aéreo seguiram leis e protocolos padrões.

O voo sem autorização ocorre um dia após uma tentativa de golpe na Bolívia, quando tanques do Exército boliviano cercaram por algumas horas a Praça Murillo, sede do governo local, e tentaram invadir o prédio. O chefe do Exército, Juan José Zúñiga, líder da intentona contra o presidente Luis Arce, foi preso e a cúpula militar do país, trocada.

A ação de interceptação fez parte do Programa de Proteção Integrada de Fronteiras (PPIF), que visa reforçar a segurança e coibir ilícitos nas fronteiras brasileiras.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: