X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A Tribuna
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Brasil

Estado de SP inicia vacinação contra paralisia infantil nesta segunda-feira


Nesta segunda-feira, 27, o Estado de São Paulo inicia a campanha de vacinação contra a poliomielite, doença popularmente conhecida como paralisia infantil. A vacinação é destinada a crianças menores de 5 anos de idade e estará disponível em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBs) até o dia 14 de junho.

A poliomielite, doença aguda e contagiosa, é causada pelo poliovírus e pode levar à paralisia muscular irreversível nos membros inferiores, com risco de evoluir para óbito em casos graves. A vacinação é a principal e única forma de prevenir a doença.

Muitas vezes, as pessoas infectadas não apresentam sintomas, mas quando ocorrem, podem ser semelhantes aos de outras doenças virais, como febre, mal-estar, dores de cabeça e garganta, náuseas, vômitos, entre outros. Essa falta de sintomas evidentes pode levar a um diagnóstico tardio, quando a doença já progrediu para estágios mais graves.

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (SES-SP) tem como meta vacinar 95% das crianças entre 1 e menos de 5 anos. No ano anterior, a cobertura vacinal no Estado atingiu 85,65%, representando um aumento de 11% em relação a 2022, de acordo com dados do Ministério da Saúde.

Abaixo da meta

Após anos de declínio na adesão às vacinas, o Brasil testemunhou uma melhoria nas coberturas vacinais de 13 dos 16 imunizantes do calendário infantil em 2023. Contudo, apesar desse progresso, os índices ainda estão abaixo das metas estabelecidas pelo governo federal, que variam de 90% a 95%. Essas metas são definidas com base na quantidade necessária de cobertura vacinal para conter a propagação de cada tipo de vírus.

De modo geral, considerando os 13 imunizantes que apresentaram aumento na cobertura vacinal, observou-se um acréscimo que variou de 4 a 9 pontos porcentuais. No caso específico da vacina contra a poliomielite, o índice subiu de 77,2% em 2022 para 84,7% em 2023, uma mudança similar à registrada pelo Estado de São Paulo.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: