X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Brasil

Eleição no Rio tem prefeito como líder nas pesquisas e alianças em construção; veja os nomes


Nove pré-candidatos se colocam na disputa para o comando da prefeitura do Rio de Janeiro a seis meses das eleições municipais deste ano. O atual prefeito Eduardo Paes (PSD) lidera as mais recentes pesquisas de intenção de voto sobre a corrida eleitoral e tem recebido acenos públicos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Do outro lado, com o apoio do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), está o deputado federal Alexandre Ramagem (PL-RJ), ex-diretor da Agência Brasileira de Inteligência(Abin).

Sem nomes competitivos, alianças partidárias ainda em construção e um candidato à reeleição em busca do quarto mandato na cadeira do Palácio da Cidade, a corrida pelo comando do Executivo municipal em 2024 ainda terá novos desdobramentos até o dia 15 de agosto, quanto termina o prazo de registro de candidaturas na Justiça Eleitoral.

O diretório do PSOL no Rio definiu que o partido vai apresentar candidatura própria nas eleições para a prefeitura em 2024. O deputado federal Tarcísio Motta é o escolhido do partido e aparece em terceiro lugar nas pesquisas mais recentes.

O atual prefeito conta com o apoio do presidente Lula e de uma base consolidada de partidos no Rio. "Eu avisei que o homem gostava e faria de tudo para ajudar o Rio! Tá aí! Valeu, Lula", escreveu o prefeito, após a capital fluminense ser anunciada como a sede da cúpula do G-20 em 2024.

O embarque do PT no governo municipal foi aprovado pelos diretórios municipal e estadual da legenda. O prefeito fortalece a aliança com o presidente ao se associar ao petista em anúncios de investimentos federais na cidade e em inaugurações de obras.

Deputado federal eleito pelo PL em 2022, Ramagem é ex-delegado da Polícia Federal (PF), função que desempenhou até o começo do mandato de Bolsonaro, em 2019. O vínculo com a família do ex-chefe do Executivo se firmou ainda na campanha de 2018, quando Ramagem foi designado para chefiar a segurança pessoal de Bolsonaro depois da facada que ele levou em Juiz de Fora (MG). No começo de 2019, Ramagem foi nomeado superintendente da PF do Ceará, mas abandonou a carreira policial para ingressar na política. Ele passou um breve período como assessor da Presidência e foi escolhido para chefiar a Abin em junho daquele ano.

O nome de Ramagem ganhou força após o general da reserva Walter Braga Netto, a aposta do ex-presidente para agradar seu eleitorado tradicional na cidade, naufragar, já que ele ficou inelegível por decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O PSOL definiu que o deputado federal Tarcísio Motta como pré-candidato do partido à prefeitura do Rio. Foi candidato ao governo do Estado em 2014 e 2018, e vereador da capital por dois mandatos, entre 2017 e 2022. Em 2014, alcançou a quinta posição na eleição para o Palácio da Guanabara, com quase 9% dos votos no primeiro turno.

O deputado federal Otoni de Paula (MDB) foi oficializado como pré-candidato à prefeitura do Rio após um encontro entre a cúpula do partido com a presença do presidente nacional, deputado Baleia Rossi (MDB-SP), e do presidente estadual, Washington Reis.

Apesar das pretensões do deputado, os caciques estaduais da sigla trabalham para que o partido apoie Alexandre Ramagem, o pré-candidato bolsonarista.

O vereador Pedro Duarte (Novo) foi confirmado como pré-candidato do partido à prefeitura. De acordo com o parlamentar, ele e Ramagem disputam uma parte comum do eleitorado de direita no Rio, mas que há uma parcela do apoio de ambas as candidaturas que não é "transferível".

"As discussões sobre a minha candidatura continuam. Estamos debatendo uma alternativa de projeto para a cidade. Há espaço para as candidaturas do campo (da direita)", disse. Questionado se vê uma busca comum de eleitores conservadores entre ele e Ramagem, Duarte confirma, mas pontua uma diferença entre as duas pré-candidaturas: "Há também eleitores que votariam em Ramagem que não votariam em mim, assim como pessoas que nos apoiariam que não votariam nele".

O deputado federal Marcelo Queiroz é o pré-candidato do Progressistas para a disputa da prefeitura do Rio. Ele afirma que tem o apoio do presidente da sigla, o senador Ciro Nogueira (PP-PI). O partido lançou o próprio nome na corrida eleitoral ao mesmo tempo que é cobiçado pelas duas principais campanhas, de Paes e Ramagem.

A deputada estadual Dani Balbi é pré-candidata a prefeitura do Rio pelo PCdoB. Eleita para a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) em 2022, com 65.815 votos, é a primeira mulher trans a compor o plenário da Casa. É professora e doutora em Ciência da Literatura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Pré-candidato pelo PSTU, Cyro Garcia é ex-bancário e professor. Ele começou a sua militância na década de 1970. Em 2022, se candidatou ao governo do Rio, e obteve 12.627 votos. Garcia já tentou se eleger outras nove vezes para diferentes cargos, inclusive para prefeito.

Já o Unidade Popular (UP) lançou a pré-candidatura de Juliete Pantoja Alves, militante do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB). Em 2022, ela também foi candidata ao governo do Rio e obteve 27.344 votos.

Confira a lista dos pré-candidatos à prefeitura do Rio

*Alexandre Ramagem (PL), deputado federal e ex-diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin);

*Cyro Garcia (PSTU), ex-bancário e professor;

*Dani Balbi (PCdoB), deputada estadual;

*Eduardo Paes (PSD), prefeito do Rio de Janeiro, candidato à reeleição;

*Juliete Pantoja (UP), militante do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB);

*Marcelo Queiroz (PP), deputado federal;

*Otoni de Paula (MDB), deputado federal;

*Pedro Duarte (Novo), vereador do Rio de Janeiro;

*Tarcísio Motta (PSOL), deputado federal.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: