X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A Tribuna
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Brasil

ANS cobra esclarecimentos de plano de saúde sobre suspensão de vendas


A Golden Cross informou neste domingo, 9, que negocia com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) a interrupção temporária na venda de planos de saúde. Na sexta-feira, 7, a reguladora enviou ofício à empresa pedindo esclarecimentos sobre a suspensão de vendas a partir de 18 de junho. Na ocasião, a agência disse que não havia recebido o pedido por parte da empresa.

"Assim, a operadora não está autorizada a suspender a comercialização de seus produtos na data anunciada - 18/06 -, devendo todos aqueles que estiverem registrados na reguladora e com o status de "ativos" permanecerem disponíveis para aquisição dos consumidores, até que a sua suspensão seja devidamente autorizada pela ANS", afirmou a agência reguladora em comunicado na sexta.

A Golden Cross, por sua vez, disse que a interrupção temporária na venda do segmento saúde foi pensada visando a reestruturação do seu portfólio de produtos. "A fim de se adaptarem ao novo Programa de Compartilhamento de Risco, previsto na resolução normativa número 517 da ANS, para elevar ainda mais a qualidade do atendimento já prestado pela Golden e a proteção do consumidor", disse a companhia.

A empresa ressalta ainda que os planos do segmento odontológico continuam sendo comercializados normalmente.

Parceria com a Amil

Além disso, a partir de 1º de julho, os clientes dos planos médicos empresariais Golden Cross passarão a ser atendidos na rede credenciada Amil.

"Os 240 mil beneficiários Golden, residentes majoritariamente no Rio de Janeiro, agora contam com serviços de excelência em todas as especialidades e níveis de atenção, além de canais de atendimento próprios", afirma a operadora.

As empresas apontam ganhos de eficiência pela escala e pela qualidade Amil, que intermediou, apenas em 2023, mais de 80 milhões de procedimentos médicos, realizados por 20 mil médicos e serviços de saúde credenciados, segundo a Golden Cross.

"Além da expertise das unidades próprias, a rede Amil inclui 12 hospitais e clínicas que são referência no Rio de Janeiro. É a tradição da Golden de mãos dadas com o cuidado assistencial e com a moderna estrutura da Amil", acrescentou a empresa.

A operadora cita ainda que esse modelo está previsto na regulação dos planos de saúde e não altera o vínculo do beneficiário com a Golden Cross. " Fundamentado na resolução normativa número 517 da ANS, o acordo se estrutura como um Programa de Compartilhamento de Risco cujo objetivo é o de elevar ainda mais a qualidade do atendimento já prestado pela Golden", aponta.

"Os desafios da saúde suplementar nos impulsionam a buscar soluções de eficiência com empresas de confiança e que comungam os nossos valores. Nossos beneficiários podem ter certeza de que nosso propósito é assegurar o melhor cuidado médico, para todas as suas necessidades, com alta qualidade e capilaridade geográfica", afirma o presidente da Golden Cross, Franklin Padrão Junior, em nota enviada pela companhia.

Com relação a parceria para uso da rede da Amil pelos beneficiários da Golden Cross, a ANS afirma que isso é permitido nos termos da lei e dos normativos da saúde suplementar. "Não há necessidade de autorização da agência, apenas de comunicação à reguladora nos casos em que houver mudança do tipo de contratualização (rede direta, indireta ou própria) que havia sido registrada", pontuou a agência.

"Como a Golden Cross informou à ANS atuar apenas com rede direta, seja para prestadores hospitalares e não hospitalares, ela precisará fazer essa alteração no seu registro junto à reguladora para utilizar a rede da Amil (rede indireta) - o que ainda não foi feito", enfatiza a agência.

A agência acrescenta que a decisão não se trata de transferência de carteira e que nada muda no atendimento aos beneficiários. "A Golden Cross continua sendo a responsável pela prestação da assistência aos seus clientes. As operadoras são obrigadas a oferecer aos beneficiários todos os procedimentos previstos no rol de procedimentos e eventos em saúde, de acordo com o contrato e dentro dos prazos definidos pela ANS."

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: