search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Bombeiros procuram dono de cadela resgatada do alto de um barranco

Notícias

Publicidade | Anuncie

Cidades

Bombeiros procuram dono de cadela resgatada do alto de um barranco


Militares do Corpo de Bombeiros estão fazendo uma campanha para encontrar o dono de uma cadela que foi resgatada pela equipe do alto de um barranco, no bairro Guandu, em Cachoeiro de Itapemirim.

O animal foi resgatado na última sexta-feira (2). Segundo os militares, a cadela estava presa havia dois dias num barranco situado na rua Bernardo Horta.

Os bombeiros afirmam que a cadela é muito mansa e sem uma raça definida. Como estava de coleira, eles acreditam que o animal possa ter fugido da casa do dono. (Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)
Os bombeiros afirmam que a cadela é muito mansa e sem uma raça definida. Como estava de coleira, eles acreditam que o animal possa ter fugido da casa do dono. (Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)

Alguns moradores chegaram a tentar retirar o animal, que estava chorando e latindo, porém não conseguiram, uma vez que o local é de difícil acesso. Para ter acesso ao animal, os militares precisaram usar uma corda.

De acordo com os militares, logo após retirar o animal, ele foi levado à Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ), porém a equipe foi informada que o local está lotado e só recebe animais feridos ou doentes.

Sem alternativa, os bombeiros levaram o animal até a sede do 3º Batalhão, no bairro Marbrasa, onde continua sob os cuidados dos militares até esta quinta-feira (26).

Os militares fizeram vaquinha para comprar ração para a cadela. E informaram que já existe outro animal mantido no batalhão, chamada de Pretinha

Os bombeiros afirmaram que a cadela é muito mansa e sem uma raça definida. Como estava de coleira, eles acreditam que o animal possa ter fugido da casa do dono.

Com relação à Vigilância de Zoonoses, a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) contestou a informação de que não havia vagas na unidade. No entanto, ressaltou que o órgão não recebe animais sadios.

Ainda, segundo a Semus, o órgão se baseia em portaria de 2014 do Ministério da Saúde de que unidades de zoonoses só devem recolher animais que representam algum risco para as pessoas.

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados