search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Bolsonaro faz exames cardíacos todo dia

Notícias

Publicidade | Anuncie

Coronavírus

Bolsonaro faz exames cardíacos todo dia


Presidente Jair Bolsonaro (Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil)
Presidente Jair Bolsonaro (Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil)
Diagnosticado com Covid-19, o presidente Jair Bolsonaro, que tem 65 anos, está passando por exames de eletrocardiograma duas vezes ao dia para monitorar a frequência cardíaca, segundo fontes do governo.

Avaliar o funcionamento do coração é uma recomendação da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) para pacientes, como Bolsonaro, que usam a cloroquina no tratamento do novo coronavírus.

O medicamento, que ainda não possui eficácia comprovada contra a Covid-19, tem como um possível efeito colateral alterações na frequência cardíaca.

O protocolo que Bolsonaro tem cumprido em relação ao monitoramento do coração vai além do recomendado pela SBC.

A entidade pede para que sejam realizados exames no primeiro, terceiro e quinto dias do tratamento com a hidroxicloroquina.

De acordo com relatos de integrantes do governo, quatro funcionários que trabalham no terceiro andar do Palácio do Planalto, onde Bolsonaro despacha, também estão com suspeitas de Covid-19.
Segundo fontes, os quatro que tiveram sintomas e estão afastados. Dois tiveram febre, entre eles, uma secretária que cuida do cerimonial e da agenda do Presidente.

Desde segunda-feira, quando registrou 38°C de febre e procurou o hospital, Bolsonaro não teve mais aumento da temperatura.

Rotina

O Presidente deu início ontem a uma rotina marcada por isolamento dos próprios familiares, videoconferências com ministros e contato presencial limitado a um assessor que já teve Covid-19.

Desde o início da pandemia, Bolsonaro tem dado declarações nas quais minimiza os impactos da doença e, ao mesmo tempo, trata como exageradas algumas medidas tomadas no exterior e por governadores de estado no País.

Porém, ele começou a seguir um protocolo médico para evitar o risco de contaminação de seus familiares, funcionários do Palácio da Alvorada e assessores.
Passou, inclusive, a dormir em um quarto isolado, longe da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, e adaptou um dos dormitórios do Palácio em escritório.

Em sua sala de despachos, o Presidente tem a sua disposição televisão, computador, telefone, impressora e um aparelho para videoconferências.

Entenda

Sintomas
No último sábado à noite, Bolsonaro passou a se queixar de mal-estar, após voltar de Santa Catarina, onde visitou cidades afetadas por um “ciclone bomba” na semana passada.
Os sintomas persistiram no domingo, com febre de 38ºC e dores no corpo. Na terça-feira, o Presidente foi diagnosticado com Covid-19.

Tratamento
antes mesmo do diagnóstico, Bolsonaro já começou a tomar cloroquina com azitromicina. Além disso, ele realiza duas vezes ao dia o eletrocardiograma, para monitorar a frequência cardíaca.
Usada pelo Presidente, a cloroquina apresenta, entre os seus efeitos colaterais, risco de alterações nos batimentos do coração.

Cuidados
O presidente passou a dormir em um quarto isolado, longe da primeira-dama, e adaptou um dos dormitórios do Palácio em escritório. De lá, faz videoconferências com ministros.

Fonte: Pesquisa AT.

Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados