Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Sobre Rodas

Sobre Rodas

Colunista

Strada e Kwid entre os carros mais vendidos

| 04/06/2020, 06:01 06:01 h | Atualizado em 04/06/2020, 14:51

A Fiat Strada terminou maio
em primeiro lugar entre as picapes 
e  em terceiro lugar no geral
A Fiat Strada terminou maio em primeiro lugar entre as picapes e em terceiro lugar no geral |  Foto: Divulgação

Fiat Strada e Renault Kwid foram os destaques de vendas em maio, segundo mês completo de pandemia do coronavírus. Algo que não mudou, no entanto, foi a liderança do Chevrolet Onix (3.296) e a segunda posição do Hyundai HB20 (2.218).

Um dos destaques de maio, que teve 11,8% nas vendas de carros de passeio em relação a abril, foi o Renault Kwid.

O subcompacto embalou com algumas promoções e terminou o mês em terceiro lugar, com 1.818 emplacamentos. No acumulado de 2020, o Kwid é o sexto colocado, com 20,1 mil licenciamentos. Sua briga direta é contra o Volkswagen Gol. Seu rival natural, entretanto, o Fiat Mobi, teve um mês fraco e emplacou 992 unidades (21º lugar no mês).

Entre os comerciais leves, a dupla de picapes da Fiat, Strada e Toro, recuperou as duas posições de liderança, que haviam sido perdidas para a Toyota Hilux e para a Ford Ranger, que são picapes maiores.

Com 1.983 emplacamentos, a Strada não apenas terminou maio em primeiro lugar entre as picapes, mas em terceiro lugar no geral — incluindo automóveis de passeio. A nova Strada ainda não estreou. Ela estava prevista para abril, mas por conta da pandemia será lançada oficialmente no dia 26 de junho.

Já o Ford Ka não conseguiu sustentar nem mesmo o quarto lugar. Ficou atrás de Renault Kwid (1.818) e Fiat Argo (1.768), com 1.719 unidades.

O Chevrolet Tracker, por sua vez, conseguiu sustentar o posto de SUV mais vendido ainda que em 11° no ranking geral. O rival mais próximo, Jeep Renegade, ficou em 15°. Compass, Creta, Duster, T-Cross e Ford EcoSport conseguiram ficar entre os 25 mais vendidos.

Picapes continuaram em alta, reforçando uma tendência percebida desde o início da quarentena. Fiat Toro (1.662), Toyota Hilux (1.444), Ford Ranger (1.444) e Chevrolet S10 (1.267) ficaram entre os 20 mais vendidos em maio.

Há alguns pontos fora da curva. Um bom exemplo é o Porsche 911, que com 62 unidades emplacadas no mês ficou em 86° no ranking de vendas. Na sequência, o Ford Mustang teve 12 emplacamentos (139°) e o BMW Z4, 11 (142°).

Vendas melhoram no mês de maio

Um dos destaques, que teve 11,8% nas vendas , foi o Renault Kwid
Um dos destaques, que teve 11,8% nas vendas , foi o Renault Kwid |  Foto: Divulgação
Flexibilizações de quarentena e retorno de alguns departamentos estaduais de trânsito ao trabalho em meio à pandemia ajudaram a elevar as vendas de veículos em maio, mas o volume emplacado segue apontando forte queda em relação a um ano antes.

Segundo a Fenabrave, o Brasil registrou 56.639 emplacamentos de veículos leves em maio, um crescimento de 10,3% em relação a abril, mas uma queda de 75,8% em relação a maio do ano passado.

Os carros de passeio tiveram 44.139 vendas, enquanto os comerciais leves emplacaram 12.500 unidades. No acumulado do ano, o País soma 640.525 vendas, contra 1.035.427 nos primeiros cinco meses de 2019. A queda acumulada é de 38,1%.

De acordo com o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, em maio a abertura de algumas concessionárias em determinados estados e o retorno de funcionamento de parte dos

Detrans resultaram em pequena melhora para o setor da distribuição.
Segundo a entidade, as vendas de caminhões tombaram 48,5%.

Os emplacamentos de ônibus tiveram baixa de 60,78%. Na comparação com abril, houve aumento em todas as categorias. No acumulado de 2020, as vendas de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus novos no Brasil já mostram baixa de cerca de 38%, a 675,971 mil unidades.

A Fenabrave divulgou que não revisará as projeções para 2020 até o fechamento do primeiro semestre em razão das incertezas que cercam a economia e o desempenho do setor da distribuição de veículos, que ainda sofre os efeitos do isolamento social.

MATÉRIAS RELACIONADAS