Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Qual a Bronca?

Qual a Bronca?

Colunista

Redação A Tribuna

Perigo em ponto de ônibus

| 24/10/2020, 10:07 10:07 h | Atualizado em 24/10/2020, 10:34

“Quando é que a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) pretende reconstruir o muro do Centro Biomédico, em Maruípe?”, pergunta o açougueiro Lindomar Carneiro de Brito, que mora em Bonfim, Vitória.
Segundo ele, o muro caiu no ano passado e, até o momento, permanece substituído por tapumes metálicos de zinco.

“Quem passa pela calçada, como foi o meu caso, observa que já há erosão no terreno, o que pode provocar um acidente, além das folhas de zinco que estão soltas em frente ao ponto de ônibus”.

Lindomar pede providências e afirma que está perigoso. “Faço tratamento no hospital e sei da necessidade de reconstrução deste muro, o quanto antes”. afirma.

Tapumes de zinco no entorno do terreno da Ufes, em Maruípe, Vitória, é alvo de reclamação de passageiros
Tapumes de zinco no entorno do terreno da Ufes, em Maruípe, Vitória, é alvo de reclamação de passageiros |  Foto: Beto Morais/ AT

A Superintendência de Infraestrutura da Ufes informa que três muros que protegiam o Centro de Ciências da Saúde (CCS), em Maruípe, foram derrubados pela própria Universidade, pois estavam oferecendo risco de desabamento.

No momento, esses espaços físicos foram substituídos, provisoriamente, por tapumes, para garantir a segurança dos usuários.

A Universidade explica ainda que os trabalhos para a construção dos novos muros, bem como para a reforma das calçadas para pedestres, devem ter início no começo do próximo ano, atendendo às normas de acessibilidade, que visam à melhoria dos espaços físicos dos campi da Instituição.

Lembra também que devido as medidas de prevenção à Covid-19, aprovadas pelo Conselho Universitário da Ufes, as atividades presenciais nas áreas acadêmicas e administrativas na Universidade estão suspensas desde de março deste ano.

O que diz o leitor

Imagem ilustrativa da imagem Perigo em ponto de ônibus
Lindomar disse que o tapume da avenida Marechal Campos está torto e precisa de reparo o quanto antes.

Jardim Tropical Aglomeração em rua

João Paulo Ferreira, auxiliar administrativo
“No último dia 16, professores se aglomeraram em frente à EMEF Luiz Baptista, para fazer o teste de Covid. Não é recomendado que isso não aconteça”?

A Prefeitura da Serra explica que a testagem começou no dia 16 e terminou ontem dia 23. Em todos os cinco pontos houve orientações sobre o distanciamento social e foi ofertado álcool gel para a higienização das mãos.

Centro de Vitória Coletores entupidos

Rogério da Cunha Abaurre, aposentado

“Os coletores de água pluvial da Praça Costa Pereira estão entupidos e cheio de folha, inclusive no calçadão”.

A Central de Serviços de Vitória alega que as grelhas são limpas de forma manual e com o caminhão de desobstrução a jato. A última ação manual ocorreu no dia 16.

Expedito Falta de água

Jéssika Rodrigues, professora
“Há três dias, estamos sem água no bairro. Na minha rua, a Roberto Couto, estamos sem água até para lavar as mãos”.

A Cesan esclarece que houve um vazamento na região que desencadeou um desabastecimento. Carros-pipa foram enviados e o abastecimento foi normalizado.

Praia de Itaparica Erro em notificação

André Castro, contador
“Meu cliente tem loja no shopping Vila Velha e recebeu notificação online da Prefeitura de Vitória. Isso não está correto”.

A Prefeitura de Vitória destaca que a gerente da área de operações tributáveis da Sefa entrou em contato com o contador e repassou as informações necessárias.

Nossa Senhora da Penha Dois anos de espera

Wilson Bispo dos Santos, gerente operacional

“Em outubro de 2018, dei entrada no pedido de aposentadoria por tempo de contribuição em Vitória e o pleito ainda está em análise”.

O INSS esclarece que o processo está na fila nacional e foi encaminhado para o servidor responsável para que dê prioridade na sua conclusão.

Jardim Camburi Lixo em mata

Helena Barbarioli, pedagoga
“A mata Paludosa está cheia de lixo, entulho e capina, pois o mato está encobrindo a calçada e, também, colocar uma cerca e plantar mais árvores”.

A Central de Serviços de Vitória afirma que o local recebe limpeza e, recentemente, foi realizada capina e plantadas novas árvores.

MATÉRIAS RELACIONADAS