Login

Imagem ilustrativa da capa de fundo do colunista

Qual a Bronca?

Imagem do colunista

Lojas e residências alagadas

26/11/2021 10:18:01 min. de leitura

Imagem ilustrativa da imagem Lojas  e residências  alagadas
Alagamento no comércio do centro de Fundão, após chuva forte ocorrida no último dia 11 de novembro. Foto: Breno Biss
 

“Basta chover um pouco mais forte para o Centro de Fundão ficar embaixo d'água, como ocorreu no último  dia 11 de novembro. Tudo isso por conta da concessionária Eco101 e da Prefeitura de Fundão,  que não mantêm os bueiros limpos para facilitar o escoamento das águas”, reclama o empresário Breno Biss.

Segundo ele, há mais de dois anos que moradores e comerciantes da área central sofrem com os alagamentos e, apesar dos prejuízos registrados, nenhuma providência é adotada. “Todos estão cientes e ninguém faz absolutamente nada”. 

O empresário afirma que essa não foi a primeira vez que a sede do município acabou afetada pela chuva forte.

“Se ao menos  limpassem os bueiros com mais regularidade ou construíssem galerias capazes de captar a água da chuva mais volumosa, os prejuízos seriam menores tanto para os moradores quanto para os comerciantes. Quando isso será resolvido?”, questiona o empresário. 

A Eco101 informa que os serviços de conservação e limpeza da drenagem são realizados periodicamente ao longo do trecho concessionado. 

A concessionária acrescenta que o local segue sob monitoramento e frisa que mantém conversas com a prefeitura a fim de tratar de problemas de macrodrenagem que ultrapassam os limites da rodovia.

A Secretaria de Obras e Serviços Urbanos  de Fundão afirma que manteve contato com a Eco101 e solicitará à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) anuência para desenvolver um projeto que prevê a resolução paliativa do escoamento das águas pluviais no local.