Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Plenário

Plenário

Colunista

Kleber Amorim

Ter o comando da sigla é a condição

| 07/03/2021, 08:10 08:10 h | Atualizado em 07/03/2021, 08:23

O deputado federal Felipe Rigoni, que está de malas prontas para deixar o PSB, confirmou que tem conversas mais aprofundadas com o PSDB e o Podemos, mas que tudo vai depender de uma condição: ele fazer parte do comando do partido.

“Independente do partido que eu vá, preciso ter o comando. É uma condição. Não é só ser o presidente, mas ter o comando de alguma maneira, para poder construir um grupo, que não será de oposição a ninguém, é para o futuro do Espírito Santo”.

Rigoni quer liderar a construção de uma “terceira via” aos projetos já existentes no Estado. A princípio, no ano que vem, ele é candidato à reeleição. Mas tem no radar de um futuro não muito distante, disputar o governo. “O Espírito Santo passou da hora de dar saltos. Avançamos na gestão fiscal, educação, infraestrutura, mas precisamos avançar mais, ser totalmente digitalizado, investir em tecnologia”, avaliou.

Mesmo dizendo que o PSB não lhe “cabe” mais, por questões programáticas, ele garante ser aliado da gestão Casagrande.

Quem vai levar?
PSDB e Podemos querem filiar o deputado Felipe Rigoni. “O PSDB está de portas abertas, Rigoni é um quadro muito qualificado que vai honrar o partido”, disse o presidente tucano, Vandinho Leite. “É um grande parlamentar, representa a renovação e terá no Podemos todas as condições para executar seu trabalho”, disse o presidente do Podemos, Gilson Daniel.

Quem largou quem?
O deputado Bruno Lamas (PSB) disse que a saída do federal Felipe Rigoni foi pauta de reunião do partido. “Rigoni iria para o DEM, mas não deu certo. Depois procurou a cúpula nacional do PSB para continuar no partido, sem passar pela estadual, mas sua permanência foi recusada”. Rigoni disse que o PSB tentou se aproximar, mas que não teria dado certo.

Sessão na palma da mão

Imagem ilustrativa da imagem Ter o comando da sigla é a condição
A Câmara de Alfredo Chaves comprou dois celulares e passou a transmitir as sessões do Legislativo na internet. Era uma das únicas da região Sul que ainda não transmitia. As transmissões foram iniciadas no dia 3 após aprovação de projeto dos vereadores Hugo Luiz, Narcizo Grassi e Sérgio Bianchi.

Em Itaguaçu...
Deve ocorrer ainda este mês audiência da Justiça Eleitoral para ouvir testemunhas no processo que pede a cassação do prefeito de Itaguaçu e novas eleições no município. A coligação União para o Progresso de Itaguaçu, do candidato derrotado a prefeito Mário João, alega que um grupo paramilitar foi contratado para coagir eleitores. Um dia antes da eleição, a polícia prendeu quatro homens com armas falsas, dinheiro e fotos do grupo que denunciou.

Briga por federação vai parar na delegacia
A briga pelo comando da Federação das Associações de Moradores da Serra (Fams) teve mais um capítulo: dois boletins de ocorrência foram registrados envolvendo o presidente, Jean Cassiano, e a vice, Marilene Gomes. Jean acusa o marido de Marilene de ameaça: “Ele me ameaçou de morte”. Marilene acusa Jean de agressão: “Ele me deu um soco”. A confusão começou durante a inscrição de chapas para o comando da Fams, na quinta-feira.

O início
O presidente da Fams, Jean Cassiano, diz que a confusão começou após a chapa de Marilene ser recusada por ter perdido o prazo. Marilene diz que os prazos foram suspensos e quando chegou com sua chapa a confusão já estava armada.

O motivo
A Fams reúne 128 associações de moradores que contribuem mensalmente para a federação, que tem o poder de gerenciar convênios e PPPs de até R$ 800 mil por ano.

Cobrança
A vereadora de Anchieta Marcia Assad usou a tribuna da Câmara para denunciar que está faltando lençóis no PA do município.

Ouvidoria da Mulher
A Câmara de Guarapari reativou a Ouvidoria da Mulher, para receber e encaminhar denúncias de violência.

MATÉRIAS RELACIONADAS