Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Plenário

Plenário

Colunista

Kleber Amorim

PM denuncia perseguição política

| 14/08/2021, 07:47 07:47 h | Atualizado em 14/08/2021, 10:13

O capitão da PM Vinícius Sousa, lotado em Cachoeiro, foi informado pelo boletim interno da Corporação de que será alvo de um processo (PAD). Segundo ele, o motivo seria sua participação, como cidadão e membro do grupo Policiais Antifascismo, nas manifestações de rua dos dias 19 de junho e 24 de julho, contra o governo Bolsonaro. A coluna apurou que manifestações no Facebook também seriam alvo do PAD.

“Nós não podemos fazer greve, ter sindicato e filiação partidária. Mas nada nos impede de ter opinião e participar de manifestação como qualquer cidadão”, disse o capitão que foi candidato a vice-prefeito de Cachoeiro, em 2020, pelo Rede.

Sousa diz que se sente perseguido e que outros policiais, que também manifestariam posições políticas, não têm o mesmo tratamento. “Já vi policiais pedindo fechamento do STF nas redes sociais, o que é antidemocrático, defendendo tortura e até atacando e xingando o nosso governador. E não respondem a processo. Minhas manifestações sempre foram respeitosas nas redes sociais”. Sousa está na PM desde 2008.

Movimento repudia
A Polícia Militar foi procurada para falar sobre o assunto na manhã de ontem, mas não retornou ao contato até o fechamento dessa edição.

O Movimento Policiais Antifascismo publicou nota de solidariedade ao Capitão Sousa, dizendo que ele teria sido monitorado pela Inteligência da PM e que está sendo perseguido por sua opinião política.

Vai faltar espaço
O governador inaugura hoje a 3ª Cia do 6º Batalhão (Serra) da PM, na rodovia Norte-Sul, em Barcelona, na Serra, e anuncia repasses para a construção do Cras de Laranjeiras.

O evento deve reunir todas as lideranças do município, de vereadores a prefeito, de deputados à equipe de governo naquele que é o maior colégio eleitoral do Estado.

Casa do povo bombou!
A Câmara da Serra foi palco de duas manifestações, no mesmo dia (quarta-feira), durante a sessão ordinária, e sobre dois projetos da mesma parlamentar: a vereadora Raphaela Moraes. Um projeto tinha manifestação a favor, e outro, contra. Também teve confusão com Jefinho do Balneário.

PTB indignado
O presidente estadual do PTB, Bruno Lourenço, reagiu à prisão do presidente nacional do seu partido, Roberto Jefferson. O ex-deputado teve prisão preventiva decretada pelo STF, após pedido da Polícia Federal no inquérito que investiga a ação de milícias digitais contra as instituições do País. “Uma prisão arbitrária e que ataca a liberdade de expressão. O STF não toma essa mesma atitude em outros casos semelhantes”, disse ele.

Cinco vagas de desembargador abertas no TJ
Além da vaga de desembargador aberta para a OAB, pelo quinto constitucional e que já era prevista, o Tribunal de Justiça publicou ontem mais duas vagas – uma para a magistratura, por merecimento, e outra para o MP, também para o quinto constitucional, por ocasião da aposentadoria do desembargador Sérgio Gama. Somam-se a essas as outras duas vagas da magistratura (antiguidade e merecimento) que estavam suspensas por força de liminar do CNJ.

7 anos sem Campos
E ontem completou 7 anos da morte do ex-governador pernambucano Eduardo Campos, num acidente aéreo durante a campanha presidencial de 2014. O PSB e o governador Casagrande fizeram homenagens.

Mineirinho com orgulho
O governador Romeu Zema, que visitou o Estado nesta semana, fez questão de vir com um broche e a máscara com a bandeira de Minas.

Abrigo para pets também
Avaliação de quem trabalha com moradores de rua é a de que muitos rejeitam ir para abrigos não porque terão de seguir regras ou largar o vício, mas porque não podem levar seus animais de estimação, normalmente os únicos “amigos” que eles têm.

Troféu coveiro
Vai para a Câmara Federal que numa única semana enterrou o voto secreto e desenterrou as coligações.

MATÉRIAS RELACIONADAS