Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Plenário

Plenário

Colunista

Kleber Amorim

O troco dos governadores

| 05/02/2020, 08:44 08:44 h | Atualizado em 05/02/2020, 08:49

O governador Renato Casagrande foi um dos 23 governadores que assinaram a carta-resposta ao presidente Bolsonaro que culpou os governadores pelo preço alto dos combustíveis.

Na carta, que conta com seis pontos de esclarecimentos, os governadores citam que a União vem comprimindo os estados com a imposição de novas despesas e que o ICMS – alvo das críticas do Presidente que quer fixar o valor do imposto – é a principal arrecadação dos estados. Ainda sugerem que Bolsonaro reduza os impostos federais sobre os combustíveis.

“Assinamos uma carta para um debate consistente, equilibrado. O governo federal não cobra tributos sobre o consumo e topamos fazer esse debate de forma técnica, equilibrada. Tem medidas que são jogadas no ar, mas não têm sustentação técnica. Da mesma forma que o governo federal não pode abrir mão de receita, os governos estaduais não podem abrir. É um debate técnico que não pode ser feito por redes sociais.”

Cafezinho no Palácio
O governador chamou ontem os deputados para um café da manhã e aproveitou para tratar dos projetos que seguirão para a Assembleia.

Um deles é o que muda a alíquota de contribuição previdenciária dos PMs. De 11%, a alíquota passa para 9,5% neste ano e 10,5% em 2021 para os da ativa e da reserva. Vai ter devolução para quem pagou 11% desde janeiro.

Ajuda do alto
O deputado Fabrício Gandini não participou do café da manhã com o governador – como outros 5 parlamentares: Enivaldo dos Anjos, Lorenzo Pazolini, Iriny Lopes, Capitão Assumção e Theodorico Ferraço.

Gandini foi para Brasília, para um encontro com a Executiva Nacional do Cidadania que tratou sobre as eleições. Gandini é pré-candidato a prefeito.

Uma vez líder...
O deputado Enivaldo dos Anjos foi pra cima da oposição, ontem, como nos velhos tempos em que era líder do governo na Assembleia. Alfinetou o colega Capitão Assumção e mandou Lorenzo Pazolini “sentar” quando ele discursava num tom mais áspero. Enivaldo voltou do recesso cuspindo fogo.

Ação contra piso maior para professor
A Prefeitura de Vitória entrou na Justiça com uma Ação de Inconstitucionalidade (Adin) contra o projeto do vereador Roberto Martins, aprovado na Câmara, que aumentou o piso dos professores municipais para 50% a mais que o piso nacional.

O relator é o desembargador Sérgio Bizzotto e a ação deve ser julgada amanhã à tarde no Tribunal de Justiça em caráter liminar.

Facão passou pela Secretaria de Obras
O prefeito Luciano Rezende exonerou todos os cargos de 2º e 3º escalões indicados pelo vice-prefeito, Sérgio Sá, na Secretaria de Habitação e Obras. Os dois subsecretários de Habitação e de Execução de obras, os secretários executivos, gerentes e assessores técnicos. Ao todo, foram demitidos 15 servidores. As exonerações foram publicadas no Diário Oficial do município na edição de ontem. Na sexta passada, Sérgio Sá foi exonerado do comando da pasta.

Galeria

Abrigo na oposição
O vice-prefeito de Vitória, Sérgio Sá, esteve ontem na Câmara de Vitória, a convite do presidente da Casa, Cleber Felix, e do vereador Mazinho dos Anjos e chegou a discursar na tribuna. Chamou Cleber, que é adversário do prefeito, de “meu amigo”.

Veto a projeto do TJ
O governo vetou projeto do Tribunal de Justiça que trata sobre a destinação do Fundo Judiciário por conta de emenda feita pela Assembleia.

Em ano de eleição...
A Câmara de Laranja da Terra derrubou veto do prefeito ao projeto dos vereadores Kiko Mercandele e Sininho Klemes que proíbe inauguração de obras inacabadas.

Frente parlamentar
O deputado Alexandre Xambinho criou a Frente Parlamentar para tratar dos custos cartorários para proprietários de imóveis da Cohab. “Os moradores não conseguem regularizar porque as taxas são altas.”

MATÉRIAS RELACIONADAS