Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Plenário

Plenário

Colunista

Kleber Amorim

Novo foco de incêndio

| 17/06/2020, 07:48 07:48 h | Atualizado em 17/06/2020, 07:51

Após ser adiado por uma semana, foi à votação ontem na Assembleia o requerimento de urgência do deputado Marcos Mansur ao seu projeto, e também do colega Danilo Bahiense, que incluía as igrejas como atividade essencial.

Embora o decreto estadual não impeça as igrejas de funcionarem, Mansur, que é da base, alegou que muitas prefeituras estão “jogando pesado” e demonstrou profunda decepção após o líder do governo, Dary Pagung, pedir a rejeição da urgência – o projeto continua tramitando. “Faltou boa vontade, reconhecimento do que as igrejas representam”, disse Mansur.

Ainda ontem, o pastor Gutemberg Barros, da Convenção das Assembleias de Deus (Cadeeso), enviou áudio citando os 12 deputados que votaram a favor como “amigos dos evangélicos”.

“Estamos decepcionados com os outros parlamentares. Por que os bares podem abrir e nós não podemos fazer cultos?”, disse à coluna. No final de semana um outro pastor pediu apoio aos deputados, avisando: “Sempre nos lembraremos”.

“Os inimigos”
Em grupo de WhatsApp envolvendo outras lideranças evangélicas, circularam postagens chamando os 14 deputados que votaram contra o requerimento de urgência de “inimigos” e para “não esquecer” do grupo na próxima eleição. Após a votação, pastores também gravaram vídeos incentivando vereadores a apresentarem o mesmo projeto nas câmaras.

Além da religião...
A realização de cultos e missas presenciais divide lideranças religiosas. O Fórum Evangelho e Justiça já tinha se pronunciado a favor das celebrações online. Mas a divisão vai além da religião. No final de semana, líderes e presidentes de associações religiosas se dividiram entre apoio e repúdio à inspeção feita por deputados ao Hospital Dório Silva.

Combate ao racismo
O deputado federal Helder Salomão, que preside a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, assinou, junto com outros 14 deputados e 123 instituições da sociedade civil ofícios à ONU sobre violência contra a população negra. Também denunciam a atuação da Fundação Palmares.

A inspeção
O deputado Capitão Assumção, que ontem fez o teste pra Covid-19, enviou nota à imprensa confirmando o que foi publicado ontem pela coluna: ele integrou o grupo de 6 parlamentares que foram ao Dório Silva, mas ficou no estacionamento. Inclusive, segundo um dos deputados, ele não quis sair na foto do grupo, mas estava ao lado. No domingo, em postagem nas redes sociais, ele escreveu, porém: “Fomos muito bem recebidos pelos profissionais”.

Deputados querem retratação de uso de “invasão”
Os deputados que foram fazer inspeção no Hospital Dório Silva parecem ter ficado mais revoltados com a nota da Secretaria de Estado da Saúde do que com a ação da PGE pedindo investigação ao Ministério Público. Principalmente com o uso do termo “invasão” à ação dos parlamentares. “Se teve invasão, então por que o Ciodes não foi acionado?”, questiona Lorenzo Pazolini. A Secretaria da Segurança confirmou que não houve chamado no Ciodes.

Galeria

Em análise...
O Ministério Público Estadual (MP-ES) recebeu a representação da Procuradoria-Geral do Estado. Em nota, o MP-ES disse que a “representação está sob sua análise para definir a medida jurídica mais pertinente a ser adotada nesse momento”.

No embate
Tem prefeito que está quebrando tudo na rede social. Vale até citação de Zagallo: “Vai ter que me engolir”.

Faltou um!
O nome do presidente do DC de Cariacica é Daniel Luiz da Costa e não só Luiz da Costa, como noticiado na coluna Plenário de segunda-feira.

Economia no Estado
O Instituto Jones dos Santos Neves divulga, às 15h de hoje, a estimativa de PIB trimestral capixaba referente ao 1º trimestre deste ano. Também será lançado, no evento, o Panorama Econômico do Estado.

MATÉRIAS RELACIONADAS