Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Plenário

Plenário

Colunista

Kleber Amorim

MP pediu a impugnação de 168

| 24/10/2020, 08:05 08:05 h | Atualizado em 24/10/2020, 08:32

O Ministério Público Eleitoral pediu a impugnação de 168 registros de candidaturas no Estado. Os pedidos foram feitos dentro do prazo de 5 dias após o fim do registro de candidaturas. Dos 168 pedidos, 135 foram contra candidatos a vereador; 9 contra candidatos a vice e 24 contra candidatos a prefeito.

Entre os motivos, estão: enquadramento na Lei da Ficha Limpa, desincompatibilização irregular, condenação criminal e rejeição de contas. A Justiça já seguiu o entendimento do MPE em sete candidaturas majoritárias, como a de Rafael Primo (Vila Velha), Márcio Greik (Serra), e Chicão (Conceição da Barra). Os três recorrem do indeferimento. Outros 9 pedidos estão em análise, aguardando julgamento – como o caso de Guerino Zanon, em Linhares, e Carmem Barcellos, em Santa Teresa.

E em outros seis, a Justiça teve entendimento diferente e não seguiu o MPE, aceitando a candidatura, como nos casos de Nirrô, em Alegre; Bruno Araújo, em Pedro Canário, e Claudio Eggert, em Pancas. Um candidato renunciou.

Caneta nervosa
A Zona Eleitoral que mais produziu pedidos de impugnação foi a de Venda Nova e Conceição do Castelo (40ª ZE). Foram 23 pedidos de indeferimento de candidatos a vereador – a maior parte por irregularidades no prazo de desincompatibilização. Em seguida vem a 24ª ZE, em Guarapari, com 13 pedidos e a 4º ZE (Alegre e Jerônimo Monteiro), com 12.

Só começando...
A fiscalização do Ministério Público Eleitoral não se encerrou no prazo de 5 dias para os pedidos de impugnação, segundo o coordenador de Centro de Apoio Operacional Eleitoral (Cael), Cláudio Lemos. “Mesmo que não tenha pedido dentro do prazo, o MP pode recorrer de uma decisão por deferimento de candidatura que apresente irregularidade”.

Tal pai, tal filho

Imagem ilustrativa da imagem MP pediu a impugnação de 168
O deputado Zé Esmeraldo sempre fez discursos acalorados na Assembleia, mas subiu uns dois tons após o início da campanha eleitoral. Ele é pai do atual vice-prefeito e candidato à Prefeitura de Vitória, Sérgio Sá, que também tem seguido os passos do pai e aumentado a voz nos programas eleitorais.

Justiça libera Vidigal para concorrer
A juíza eleitoral Gladys Pinheiro deferiu a candidatura do deputado Sergio Vidigal a prefeito da Serra. Na sentença, dada ontem, a juíza não acolheu o pedido de impugnação com base em condenação em 2ª instância por parte do deputado. Citou o acórdão da 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça que reformou a sentença retirando a sanção de suspensão de direitos políticos.

***

MP vai investigar médico com blusa de candidato
O promotor Américo José dos Reis vai investigar o médico que foi flagrado, em vídeo que circula na internet, atendendo num posto de saúde de Itapemirim vestindo uma camiseta com foto e número do prefeito Thiago Peçanha, candidato à reeleição. A coluna Plenário noticiou o assunto ontem. O promotor pediu que o médico – associado do consórcio Expandita Sul e presta serviço à prefeitura – fosse notificado em 48h para apresentar defesa, e pediu aplicação de multa.

Capixaba nos Brics
O senador Marcos do Val foi indicado pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre, para representar a Casa no VI Fórum Parlamentar dos Brics, no próximo dia 27.

1º projeto
O candidato a vereador de Vitória Willians Bigu já tem seu 1º projeto: indicar ao prefeito eleito que crie a Patrulha Escolar para atuar de forma preventiva contra bullying e violência.

Ensinar a pescar
O vereador de Anchieta Beto Caliman apresentou projeto solicitando à prefeitura a criação de uma “Escola de Pesca” no município.

Salles x Ramos
Mais uma lavação de roupa suja do governo federal na internet.

Troféu bate-cabeça
Vai para o presidente Bolsonaro e para o ministro da Saúde Pazuello.
 

MATÉRIAS RELACIONADAS