Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Plenário

Colunista

Plenário

Matemática criativa e convite à briga

| 02/03/2021, 09:26 09:26 h | Atualizado em 02/03/2021, 09:40

Poderia ter sido um domingo tranquilo, apesar da tragédia da pandemia que tem assolado cada vez mais as famílias brasileiras. Mas, o presidente Jair Bolsonaro resolveu protagonizar mais um episódio de embate com os governadores, numa briga insana que parece nunca ter fim.

Pressionado pelas cobranças, até de aliados, por medidas que acelerem a vacinação, Bolsonaro, fez uma postagem listando “repasses” que teria feito aos estados. Na soma, dívida que foi adiada, fundos de repasses obrigatórios e até royalties – repasses esses feitos todos os anos, em todos os governos.

Dos R$ 16,1 bilhões que Bolsonaro listou ao Estado, menos de R$ 2 bi foram para o combate à pandemia. Dos 16,1 bi, R$ 5,5 bi foram para o auxílio emergencial – que não passou pelos cofres públicos. Já o Estado enviou, em impostos, R$ 23,8 bi à União, segundo Casagrande. A atitude do Presidente gerou a revolta de governadores que, numa carta, o acusaram de produzir informação distorcida e atacar governos locais.

“Tem que dar as mãos”
Em coletiva de imprensa ontem, o governador disse que ter de esclarecer as postagens do Presidente é perder um tempo que poderia ser melhor aproveitado no combate à pandemia. “Tem que diminuir o tensionamento, o enfrentamento, tem que dar as mãos independente das posições políticas e tentar salvar vidas. Os governadores têm feito isso”.

O “mineirinho”
Ao ser questionado sobre mudanças no secretariado, o governador disse que estava estudando mais algumas trocas, que vai levar em conta o perfil do time, mas que não iria antecipar nomes. “Não quero expor nomes de pessoas, prefiro fazer isso mineiramente”. Gilson Daniel entrou no time e Tyago Hoffmann assumiu uma supersecretaria”.

Imagem ilustrativa da imagem Matemática criativa e convite à briga
Chance aos dorminhocos?
Pela 2ª vez nesse ano, a Câmara de Vitória mudou o horário das sessões ordinárias. De 8h passa para 9h30, às segundas, terças e quartas. Até o ano passado as sessões eram de terça a quinta, às 16h. O presidente Davi Esmael disse que só inverteu o horário das comissões, que agora começarão às 8h.

Lira à prova
Governadores terão hoje reunião com o presidente da Câmara Federal, Arthur Lira, e, segundo Casagrande, vai ser proposto que o Congresso atue como uma “ponte”, com o governo federal, e que tenha protagonismo no combate à pandemia. “Espero que o governo federal faça a coordenação nacional, mas enquanto isso não ocorre, vamos pedir ao Congresso que exerça um papel nacional, para termos o mínimo de entendimento”, disse Casagrande.

Assassinatos de mulheres caem 16,7%
O Estado registrou, nos dois primeiros meses do ano, 15 assassinatos de mulheres contra 18, no mesmo período do ano passado. Uma redução de 16,7%. Com relação a janeiro e fevereiro, ocorreu um leve aumento. Foram cometidos sete assassinatos contra mulheres em janeiro e oito, em fevereiro. A região metropolitana concentra o maior número dos assassinatos: 5. Dos 15 crimes, quatro são casos de feminicídio. Em 2020, foram registrados cinco.

Galeria

Alta em duas regiões
Duas regiões do Estado apresentaram alta nos números de assassinatos de mulheres, com relação ao ano passado. A região Norte, com 4 crimes (em 2020 foram dois, aumento de 100%) e a região Noroeste, com os mesmos números.

O caminho
Já é um consenso nos países mais ricos: a economia só vai voltar a aquecer com a vacinação em massa.

Na expectativa
O governador tem como objetivo vacinar os profissionais da Educação e da Segurança, mas depende de uma entrega maior de vacinas ou da possibilidade da compra avulsa.

Do púlpito à tribuna
A Convenção dos Pastores e Evangelistas da Assembleia de Deus entrega amanhã à Assembleia a minuta com cerca de 20 esboços de projetos a serem debatidos no Estado.

MATÉRIAS RELACIONADAS