Login

Imagem ilustrativa da capa de fundo do colunista Kleber Amorim

Plenário

Imagem do colunista Kleber Amorim

Kleber Amorim

Caciques tucanos se dividem

21/11/2021 12:06:00 min. de leitura

O PSDB decide, hoje, em suas prévias quem será o candidato do partido que disputará a Presidência da República em 2022. E se na esfera nacional caciques e  nomes conhecidos do tucanato estão divididos entre os governadores João Doria (de São Paulo) e Eduardo Leite (do Rio Grande do Sul), no Espírito Santo  não é diferente. O presidente do PSDB capixaba, deputado Vandinho Leite, que já declarou anteriormente apoio a Doria,  não retornou a Plenário se mantém a posição. 

Mas os dois vice-presidentes, César Colnago e Oziel Andrade confirmaram a manutenção do apoio ao governador paulista. Assim também fez a secretária de Direitos Humanos de Vitória, Neuzinha de Oliveira. Entre os  que apoiam Eduardo Leite estão o deputado Emílio Mameri, o tucano histórico Ricardo Santos e o ex-prefeito Luiz Paulo. A coluna também tentou ouvir o deputado Marcos Mansur, mas não teve retorno.

O que dizem alguns

O ex-senador Ricardo Santos disse que Eduardo Leite demonstra capacidade de articulação, negociação e diálogo que resultaram em recuperação econômica no Rio Grande do Sul. A secretária Neuzinha de Oliveira conta que se for parar para pensar sobre o  tamanho que tem São Paulo é preciso ser gestor e que João Doria é esse gestor que o País precisa.

 Votantes no Estado

Conforme o PSDB-ES serão ao todo 837 tucanos daqui votarão nas prévias, dos quais 64 são mandatários, ou seja, quem está em mandato. São governadores, senadores, deputados federais e estaduais, prefeitos e vices, que terão que ir até Brasília votar. Vereadores e demais  filiados votam por aplicativo. O peso dos votos também tem diferenças.

Encontro

O PSC realizou, ontem, na Câmara de Vitória, encontro estadual, que contou com palestras da deputada federal do partido, Lauriete, e do prefeito de Colatina, Guerino Balestrassi. A meta da sigla é eleger um deputado federal e três estaduais em 2022.

O advogado eleitoral, Marcelo Nunes, também foi convidado. Em sua participação alertou sobre maior rigor na análise da fakenews por parte do Tribunal Superior Eleitoral.

Intimando os novatos

O decano do Tribunal de Justiça (TJES), Adalto Dias Tristão, na sexta-feira, durante  votação dos novos desembargadores,  “intimou” os escolhidos a  manterem a tradição de promover uma recepção, em que ele deverá estar,  sob o risco da votação ser anulada. A brincadeira arrancou muitos risos.

Escolhido chegou a ser o segundo em contagem

O governador Casagrande (PSB) independente de votação poderia escolher qualquer um dos três nomes da lista tríplice do Ministério Público para ser o desembargador vindo do órgão. Optou pelo ex-procurador-geral de Justiça, Eder Pontes, que assim como o procurador Josemar Moreira, teve 21 votos. A promotora Maria Clara teve 16. A desembargadora Eliana Junqueira chegou a dizer  que em sua contagem a votação deu Josemar com 21 e Pontes com 20.

GALERIA

E se?

Após a dúvida levantada, foi feita a recontagem de votos confirmando Pontes e Josemar com 21 cada. Mas se Pontes tivesse ficado em 2º? E mesmo ainda podendo escolhê-lo, o governador quebraria a tradição de se  optar pelo 1º lugar da lista tríplice? Lembrando que na lista sêxtupla de sua  própria classe Pontes foi o 1º. 

De fora até da lista

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ignorou por duas vezes lista tríplice da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) e indicou Augusto Aras para comandar a Procuradoria Geral da República (PGR) por dois mandatos. 

Bodas de Rosa

O ex-vereador da Serra e ex-candidato a prefeito do município, Fábio Duarte (Rede), usou as redes ontem para comemorar 17 anos de casado. Por elas,  também não tem poupado críticas à atual administração. 

Começou na data de hoje

A Revolta da Chibata de 1910.

Este conteúdo é exclusivo para assinantes. Assine para acessar: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login