Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Nutridicas

Nutridicas

Colunista

Gabriela Rebello

Meu filho não come alimentos saudáveis, e agora?

| 08/03/2021, 19:05 19:05 h | Atualizado em 08/03/2021, 19:11

Criança fechando os olhos para comer
Criança fechando os olhos para comer |  Foto: Freepik

Ele comia de tudo e de repente se tornou seletivo. Essa é uma das principais queixas de muitos papais e mamães a respeito da alimentação de seus pequenos.

No processo de introdução alimentar é normal o bebe se sentir fascinado por esse novo mundo de cores, texturas e sabores, eles comem bem, tanto em quantidade quanto em qualidade, no entanto assim que passa a fase da descoberta isso pode mudar um pouco.

Algumas razões fisiológicas podem explicar essa alteração no apetite:

No primeiro ano de vida o bebe quase triplica de tamanho, logo o apetite aumenta para dar conta da alta demanda metabólica.

O que não acontece do primeiro para o segundo ano, o que afeta drasticamente no volume consumido, e o que pode deixar os pais em sinal de alerta.

Outro ponto importante a ser observado é que a criança começa a receber novos estímulos, e o alimento que já faz parte da sua rotina vai perdendo o seu encanto.

Mas Nutri, como saber se meu filho come bem?

Foque na qualidade e não na quantidade! Se o pratinho estiver colorido e ele se alimentando, fique tranquila pois estamos no caminho certo.

Confira agora 10 dicas de ouro para obter o sucesso com a alimentação do seu bem mais preciso:

1) Força a aceitação de um alimento não é a melhor opção. Essa atitude pode resultar em aversões que podem se estender até a fase adulta.

2) Permita que a criança participe do processo de compra, seleção e preparo dos alimentos.

3) Estimule a prática de atividade física para o aumento do apetite

4) Diminua as mamadeiras, principalmente em horários próximos às refeições

5) Use a criatividade e mude a forma de preparação

6) Evite muitas misturas de sabores em uma única refeição. É importante a criança conseguir identificar qual alimento está consumindo

7) Momento da refeição nada de aparelhos eletrônicos. Propicie um ambiente calmo e tranquilo para as refeições

8) Organize a mesa para realizarem as refeições. A criança precisa se sentir pertencente a rotina da casa, e lembre-se que dar bons exemplos é essencial.

9) Retarde ao máximo a oferta de alimentos supérfluos como bolachas, sorvetes e gomas. Enquanto não conhecer ela não sentirá falta e esses alimentos não competirão com os naturais.

10) E se tudo der errado, não desista e não demonstre frustração. Busque um Nutricionista materno-infantil, essa profissional irá lhe ajudar a retomar as rédeas da situação.

Agora me conte, como é a alimentação do seu pequeno?

MATÉRIAS RELACIONADAS