Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Nutridicas

Nutridicas

Colunista

Gabriela Rebello

Colesterol elevado: Qual dieta seguir?

Gabriela Rebello, Colunista A Tribuna | 01/08/2022, 20:06 20:06 h | Atualizado em 01/08/2022, 20:07

A alimentação para colesterol alto deve ser pobre em alimentos com gordura (bacon, linguiça, molhos prontos, salgadinhos de pacote etc), industrializados e açúcar (refrigerantes, sucos de caixinha, refeições prontas tipo "fast food" e bolachas recheadas), isso porque esses alimentos favorecem o acúmulo de gordura nos vasos.

No entanto, é importante caprichar nas fibras. Frutas cerca de 3 a 5x ao dia e saladas sempre bem fartas e coloridas. As fibras possuem papel importante na redução do colesterol pois auxiliam na sua eliminação junto às fezes.

O colesterol alto faz com que a gordura seja depositada nas paredes dos vasos sanguíneos e, com o tempo, pode ocorrer diminuição do fluxo de sangue em regiões importantes do corpo, como cérebro, coração e rins. Além disso, estas pequenas placas de ateroma aderidas ao vaso podem eventualmente soltar-se e causar uma trombose ou mesmo um acidente vascular cerebral.

Dessa forma, é importante ajustar o estilo de vida. Controle do sono e estresse, hidratação, a prática de atividade física de forma regular e claro uma alimentação adequada. Adicione ao seu cardápio, alimentos como: alho, cebola, berinjela, alcachofra, linhaça, pistache, chá preto, chá verde, matchá, azeite, linhaça, abacate, peixes, leite e amêndoas.

E cabe a observação para a suplementação que não pode faltar:

- A coenzima Q 10 é importante para auxiliar na redução dos sintomas apresentados em longo prazo pelo consumo de estatinas como, fraqueza, fadiga e dores musculares.

- O ácido graxo ω3 exerce papel protetor de eventos cardiovasculares através da modulação das características da placa aterosclerótica, tornando-a mais estável.

- O óleo de Krill é capaz de produzir efeitos de redução nos triglicerídeos 

- Beberina associado a Silimarina pode estar associada a melhora nas taxas de TG, CT, LDL, HDL, FPG e HOMA-IR em pacientes com distúrbios metabólicos.

- O consumo do arroz vermelho está associado  a redução da incidência de mortes cardiovasculares e incidência de infarto agudo do miocárdio.

- Fitoesteróis : o queridinho.   A suplementação de fitoesteróis é capaz de auxiliar na diminuição de forma efetiva o CLT e o LDL-c.

Para dosagens, forma de uso e interações medicamentosas, procure um profissional Nutricionista.

E agora me conte o que você tem feito para controlar o colesterol?

MATÉRIAS RELACIONADAS