Login

Imagem ilustrativa da capa de fundo do colunista Luiz Trevisan

Fonte Grande

Imagem do colunista Luiz Trevisan

Luiz Trevisan

Novas luzes piscam no horizonte de Vitória

29/08/2021 09:09:30 min. de leitura

Uma nova iluminação pública em Vitória, utilizando lâmpadas de LED mais claras, potentes e econômicas, é defendida pelo Sindicato dos Restaurantes, Bares e Similares do Espírito Santo (Sindibares) para revitalizar áreas de lazer, de turismo e de potencial gastronômico, além de poupar energia e ampliar a sensação coletiva de segurança.

“Estamos em entendimento com a prefeitura, defendendo que melhorar a iluminação vai ajudar na ocupação dos espaços públicos e incentivar empreendedores”, avalia o presidente do Sindibares, Rodrigo Vervloet. E o prefeito Lorenzo Pazolini diz que depende de informações técnicas sobre a nova iluminação.

* * *

A chama do blues
Nas ruas do Rio de Janeiro, lâmpadas de LED substituem aquelas de luz amarela. O cronista Leo Aversa elogiou com ressalvas: “A luz agora é branca e fria, sem lugar para lembranças. O fim da luz amarela talvez seja símbolo de um tempo que se vai”. Já o compositor capixaba Paulo Branco, em uma canção, diz que “amarela é a luz da vela, a chama azul do blues”.

VER DE PERTO É UM BARATO CARO

Imagem ilustrativa da imagem Novas luzes piscam no horizonte de Vitória
Pedra do Lagarto (rochas do lado direito) na Pedra Azul Foto: Divulgação governo do Estado
Contemplar a Pedra Azul de perto, por alguns dias, é sonho de consumo de muitos. Mas não é fácil nem barato.

Nesta época, a hotelaria ali trabalha com reservas para finais de semana, e o aluguel temporário de imóveis exige boa antecedência. Diárias de residência na charmosa Rota do Lagarto variam de R$ 1 mil a R$ 8 mil, conforme o tamanho.

Adquirir uma de 694 metros quadrados demanda R$ 6 milhões. E um terreno de 533 metros quadrados, em condomínio fechado, custa R$ 370 mil. Animou?

Sonho da Sudene embala a bancada federal
Caso o Congresso derrube o veto de Bolsonaro, matéria em pauta nos próximos dias, o governo não vai se mexer e acatará. Esse é o sentimento atual junto à bancada federal capixaba empenhada em incluir quatro municípios (Aracruz, Governador Lindenberg, Itarana e Itaguaçu ) nos benefícios fiscais da Sudene.

“Há entendimentos com o governo para rever essa decisão e o veto ser contornado”, diz o coordenador da bancada, Josias da Vitória. Num primeiro momento, o veto total do Presidente, em junho, foi ducha fria nos parlamentares, principalmente entre os aliados do governo. Agora, os ânimos parecem renovados.

...Batalha dos votos
Josias da Vitória acredita que a forçada bancada mineira vai ajudar a mobilizar os 257 votos necessários, para derrubar o veto na Câmara, e os 41 mínimos exigidos no Senado. Afinal, os mineiros estão juntos, pois querem incluir 78 municípios do Leste na Sudene. Resta saber a reação do imprevisível ministro Paulo Guedes, contrário à ampliação desses benefícios.

Pai pra filho
O crescimento da gastronomia nas montanhas capixabas amplia o negócio familiar. É comum ver, nos restaurantes e pousadas, filhos e filhas dos proprietários assumindo a cozinha e a gerência. São graduados em Culinária, Administração e outros. Somado à experiência paterna, resulta em inovações à mesa e no atendimento.

Capital repatriado
Regulamentada no governo Temer, a repatriação de capital declarado ao Banco Central embute uma taxa de 15% de Imposto de Renda e mais 15% como “multa”.

Numa repatriação de R$ 1 milhão, o governo fica com RS 300 mil. Um grupo de advogados criou um comitê que trabalha na tese da inconstitucionalidade da multa de 15%. “Vamos buscar a recuperação desse ativo”, destaca o tributarista capixaba Ricardo Dalla, que integra o grupo.

No mais...
Vanguarda sanitária mesmo é o jornalista capixaba Orlando Eller, 76 anos, muito querido pela categoria. Enquanto as pessoas aguardam a terceira dose, ele já tomou quatro vacinas contra covid-19, duas em viagem ao exterior.

ACADEMIA FLORIANENSE. Recém-criada, a Academia de História e Cultura de Marechal Floriano vai empossar seus 35 membros em outubro próximo.

PRIMEIRO LIVRO. Jane Ferreguetti espera a primavera chegar para lançar seu primeiro livro. Contendo poemas, crônicas e ensaios, vai se chamar “O Pequeno Livro de Jane”.

PÃO NOSSO. Com tanto desemprego e carência de padeiros no mercado, amassar e confeitar pode se tornar uma alternativa de renda. Nem só de Uber se vive nesses tempos duros.

FILOSOFIA NA PANDEMIA. “Quando setembro vier, será aplicada segunda dose de agosto”. Do cronista Joaquim Ferreira dos Santos sobre os rumores de golpe em 7 de Setembro.