Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

AT em Família

AT em Família

Colunista

Sim, deixar de comer carne um dia na semana faz diferença!

| 06/10/2020, 10:30 10:30 h | Atualizado em 06/10/2020, 09:47

Isabella Santos Moreira, de 26 anos, passou pela transição e eliminou o consumo de carne da dieta
Isabella Santos Moreira, de 26 anos, passou pela transição e eliminou o consumo de carne da dieta |  Foto: Acervo pessoal
A segunda-feira costuma ser o dia eleito para começar novos hábitos. Então por que não aproveitar esse dia para adotar um comportamento que faz bem para o planeta, para os animais e para si?

Essa é a proposta da campanha Segunda Sem Carne, que acontece em mais de 40 países. No Brasil desde 2009, o movimento por aqui é o mais forte do mundo.

Incentivada por celebridades como Paul McCartney, Reynaldo Gianecchini e Xuxa, a campanha visa retirar do prato os alimentos de origem animal pelo menos um dia na semana, às segundas-feiras.

O representante do núcleo de Vitória da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), Ítallo Gabriel, destaca que apenas um dia sem consumir carne, ovo e leite já tem um impacto ambiental relevante.

“Com os acontecimentos no Brasil e no mundo – pandemia e queimadas –, muitos estão reduzindo o consumo de carne devido ao impacto no meio ambiente.”

Para aderir ao movimento, basta reduzir o consumo de produtos de origem animal por um dia na semana. “É uma oportunidade para experimentar novos sabores e conhecer mais sobre o vegetarianismo e o veganismo”, salienta Ítallo.

Além de promover o bem para o planeta e evitar a morte de milhares de animais, a mudança na dieta faz bem para o corpo.

A nutricionista Monica Morgado explica que “o padrão alimentar que exclui ou reduz o consumo de carnes é considerado saudável, desde que tenha variedade de alimentos e os nutrientes estejam equilibrados para as necessidades do indivíduo”.

A especialista observa que as pessoas têm dificuldade ao substituir a proteína animal. A dica para um prato equilibrado é dividir em quatro partes: duas com hortaliças, uma com cereais ou batatas e, na última, com leguminosas.

Quem passou pela transição e eliminou o consumo de carne foi a enfermeira Isabella Santos Moreira, de 26 anos. Grávida, a motivação dela é construir um mundo melhor para si e para o filho.

“Eu fazia as Segundas Sem Carne até que, no início do ano, eu já não aguentava mais comer carne como antes. Foi então que procurei uma nutricionista, e foi um empurrão a mais para eu eliminar completamente do meu plano alimentar.”

Receitinha vegetariana

Ingredientes

  • 1/2 xícara de aveia em flocos
  • 2 dentes de alho
  • 2 xícaras de lentilha cozida sem sal
  • 2 colheres de azeite de oliva
  • 1 maço pequeno de salsinha
  • 1 colher de pasta de tomate
  • 1 colher de chá de sal
  • 1 colher rasa de amido de milho

Modo de preparo

  • Em um processador ou liquidificador, misture a aveia, o alho, a lentilha, o azeite e a salsinha até formar uma massa grudenta e pegajosa.
  • Transfira para uma tigela e adicione o restante dos ingredientes. Misture com a mão para moldar bolinhas. Se estiver muito seco, acrescente uma colher de água.
  • Em uma frigideira, doure no azeite por 4 minutos de cada lado até secar.
  • Combinam com molho de tomate e espaguete.
  • Podem ser congeladas cruas, e fritas ou assadas depois.

Atividade física

“Novos sabores”

A psicóloga Daniella Chamone
A psicóloga Daniella Chamone |  Foto: Acervo pessoal
Quando decidiu reduzir o consumo de carne, a psicóloga Daniella Chamone, 37, teve receio com o desempenho no esporte, já que é atleta de alto rendimento. Mas o que notou foi o contrário.

“Meu corpo funciona melhor e tive ganho como atleta. Mantive a musculatura e o emagrecimento, além de estar com cabelo mais bonito, unhas mais fortes e intestino funcionando melhor.”

A mudança permitiu ainda conhecer novos sabores e criar uma nova consciência. “Passei a pensar em coisas que não percebia antes, como em relação ao tratamento dos bichos.”

Veja mais

Motivos para aderir à campanha

  • Pela própria saúde: Uma alimentação centrada em vegetais previne doenças crônicas e degenerativas, diminui o risco de diabetes, auxilia no controle de peso e reduz o risco de alguns tipos de câncer, afirmam especialistas.
  • Pelos Animais: No Brasil, cerca de 10 mil animais morrem por minuto para servir como alimento. Mas é possível se nutrir apenas com vegetais.
  • Pelo planeta: Em apenas um dia sem ingredientes de origem animal deixam de ser emitidos na atmosfera 14 kg de gás carbônico (equivalente a 100 km rodados em um carro comum) e de serem gastos 3.400 litros de água (que equivale a 26 banhos de 15 minutos).

Prato balanceado

  • Metade do prato deve ser preenchida com verduras e legumes.
  • A outra metade é dividida em duas partes: uma com batatas ou cereais, como arroz, centeio, quinoa e aveia. A outra com leguminosas (feijão, ervilha, lentilha, grão-de-bico ou tofu).
  • Finalizar com azeite extravirgem ou óleos de linhaça ou de abacate.

Dicas

  • Mude o menu primeiro às segundas. Depois aumente a frequência.
  • Dê uma chance a novos sabores optando por opções vegetarianas ou veganas em locais que já frequenta.
  • Siga profissionais, influencers vegetarianos e o perfil da campanha que sempre disponibiliza receitas saborosas e fáceis de fazer.
  • Um profissional pode ajudar a criar um plano alimentar adequado.

Fonte: SVB e nutricionista Monica Morgado.

MATÉRIAS RELACIONADAS