search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Blitz em BR leva 10 pessoas com sintomas para postos de saúde

Notícias

Publicidade | Anuncie

Coronavírus

Blitz em BR leva 10 pessoas com sintomas para postos de saúde


Dez pessoas com sintomas de coronavírus foram abordadas ontem no primeiro dia de fiscalização nas divisas do Espírito Santo com a Bahia, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Ao todo, mais de 3 mil pessoas foram avaliadas.De acordo com o diretor de comunicação do Corpo de Bombeiros, tenente-coronel Carlos Wagner Borges, oito pessoas, cujos veículos foram parados, apresentavam sintomas de coronavírus na BR 101, em Mimoso do Sul, na divisa com o Rio de Janeiro.

Outras duas pessoas com sintomas foram abordadas em Iúna, na divisa com Minas Gerais, na BR 262. Nenhum caso foi detectado no limite com a Bahia, na BR 101 Norte, em Pedro Canário.

Motoristas foram avaliados na BR 262 (Foto: Beto Barbosa/Divulgação)
Motoristas foram avaliados na BR 262 (Foto: Beto Barbosa/Divulgação)

Além de terem a temperatura checada, também foram averiguados outros sintomas como coriza e tosse. Estas pessoas tiveram seus dados anotados e foram orientados a procurar o posto de saúde do município.

“Foi uma ação positiva, pois faz com que a pessoa uma vez informada dos procedimentos tome as medidas necessárias para se cuidar e também evitar a propagação”, explicou Carlos Wagner.

De acordo com Wagner, foram verificados na ação 873 transportes de carga, 908 veículos de passeio e 15 veículos de transportes de passageiros. As ações continuarão dia e noite, sem prazo para terminar.

O trabalho contou com a participação das secretarias de Estado da Saúde (Sesa), de Segurança Pública (Sesp), com presença de bombeiros, policiais militares e civis, além do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf) e Companhia Estadual de Transportes Coletivos (Ceturb).

“É bom, pois não sabemos o que vai acontecer daqui para frente. Estou muito preocupado com essa doença”, disse o caminhoneiro Valmir Cavessana, 60, que foi abordado na blitz.

O taxista Heron Fernandes Massaroni, 51, também foi abordado: “O que for possível para tentar nos prevenir eu concordo. Acho que deveriam fazer essas blitze nos municípios também”, afirmou.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados