search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Bares e restaurantes anunciam que vão demitir 5 mil a partir da próxima semana

Notícias

Publicidade | Anuncie

Economia

Bares e restaurantes anunciam que vão demitir 5 mil a partir da próxima semana


Restaurante vazio: perdas com a pandemia (Foto: )
Restaurante vazio: perdas com a pandemia (Foto: )


A volta das restrições no funcionamento de bares, restaurantes e lanchonetes em algumas cidades do Espírito Santo, devido ao aumento de casos do novo coronavírus, fez com que o setor tomasse a decisão de demitir em massa empregados de centenas de estabelecimentos.

Serão cerca de 5 mil profissionais que vão perder seus postos de trabalho a partir da semana que vem, segundo o presidente do Sindicato de Bares, Restaurantes e Similares do Estado (Sindbares), Rodrigo Vervloet.

Vervloet e Odeildo: preocupação entre  empresas e empregados (Foto: Divulgação)
Vervloet e Odeildo: preocupação entre empresas e empregados (Foto: Divulgação)
Na região metropolitana, as restrições ocorrem em Vitória, Cariacica e Viana. Os bares e restaurantes só podem funcionar até as 22 horas, sendo que, aos domingos, a permissão é que eles permaneçam abertos até as 16 horas.

“Isso veio como um golpe fatal para o setor. Estamos sendo imputados de uma culpa que não é nossa. Foi o setor que mais sofreu restrição, ficamos quase oito meses deste ano com restrições, e agora, que é final de ano e o pessoal estava voltando a recontratar para se recuperar, vieram essas novas medidas”, disse Rodrigo.

Ele afirmou que o Sindbares se reuniu ontem com o Sindicato Intermunicipal dos trabalhadores em Hotéis, Motéis, Cozinha Industrial, Bares, Restaurantes e Similares do Estado (Sintrahotéis) para tratar das demissões.

“Conversamos sobre essa demissão em massa, tanto a categoria patronal quanto a de trabalhadores estão preocupadas. A previsão é de 5 mil demitidos a partir da semana que vem. Na segunda, iniciamos o pagamento da primeira parcela do 13º salário e estamos receosos de não conseguir arcar com os compromissos que estão previstos”, disse Vervloet.

Odeildo Ribeiro, presidente do Sintrahotéis, destacou que a volta de restrições perto das festas de final de ano atrapalham a retomada do setor, que já teve pelo menos 18 mil demissões desde março, quando a pandemia começou.

“Vivemos momentos críticos, tivemos cortes nos salários dos funcionários, assim como bares de portas fechadas. Um período de penúria e miséria”, disse Odeildo.

Já Rodrigo frisou que as demissões só não ocorrerão caso as restrições sejam revistas.

“Eu acho que só conseguimos reverter se houver uma reversão urgente das medidas de restrição. Não tem outra forma de reverter essa situação, infelizmente”, disse.


ENTENDA


Vitória, Cariacica e Viana
> Desde que a pandemia começou, em março deste ano, o setor de bares, restaurantes e lanchonetes já demitiu cerca de 18 mil pessoas.
> Com a volta da permissão do funcionamento das atividades sem restrição, o setor voltou a contratar e mais vagas de empregos estavam previstas para o final do ano.
> Porém, o governo anunciou novas restrições para os municípios de Vitória, Cariacica e Viana, devido ao aumento de casos. Com isso, os estabelecimentos só podem funcionar até as 22 horas.
> A situação provocou a decisão de demitir em massa: 5 mil profissionais serão mandados embora a partir da próxima segunda-feira.

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados