search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Bandeira social
Painel da Folha de São Paulo

Bandeira social

O novo Bolsa Família, em elaboração pelo governo, amplia as faixas etárias de beneficiários.

A ideia é expandir o pagamento extra a famílias com crianças de até 36 meses (3 anos) e àquelas que tenham jovens com até 21 anos e preencham pré-requisitos. Hoje, famílias com renda mensal de até R$ 178 por pessoa recebem, além do benefício, mais R$ 41 se houver bebês de até seis meses ou adolescentes de 16 e 17 anos. A previsão do governo é apresentar as mudanças na quinta.

Mais um
Além de aumentar as faixas beneficiadas, os auxiliares do presidente Jair Bolsonaro pretendem criar o “benefício cidadania”, que será voltado para famílias pobres. Especialistas acreditam que será o aprimoramento do Benefício para Superação da Extrema Pobreza, existente hoje.

Sai de onde
O desafio do governo é definir quais programas serão cortados para abrir espaço para a ampliação do Bolsa Família. O assunto está sendo tratado entre o Ministério da Cidadania e o da Economia. A única exigência da pasta de Paulo Guedes é que seja definida a fonte dos recursos que vão bancar a mudança.

Quem dá mais
A ideia de incluir a primeira infância consta também no pacote social apresentado pela deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP), na semana passada. A diferença é que a proposta da parlamentar prevê o benefício a crianças com até 5 anos e não 3.

Guerra fria I
O clima entre o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) e o ministro Ernesto Araújo (Itamaraty) está pesado. O gabinete do ministro reclama da demora nas sabatinas para indicados para embaixadas. Aliados do senador dizem que ele não pode simplesmente carimbar as nomeações.

Guerra fria II
O Itamaraty irritou-se especialmente com o que considerou demora nos casos de Líbano e EUA. O Senado nega atraso e diz que os nomes dos indicados já foram liberados para serem sabatinados.

Eu acuso
Em audiência na Câmara dos Deputados, o presidente da Comissão Arns, o advogado José Carlos Dias, responsabilizou o ministro da Justiça, Sergio Moro, pelas acusações de abusos cometidos pela força-tarefa federal que atua no sistema prisional do Pará. Moro tem dito que as acusações, que incluem relatos de tortura, são exageradas.

Precedente
Uma decisão do mês passado proibindo o presidente Donald Trump (EUA) de impor barreiras ao aço da Turquia animou o Itamaraty, que tenta reverter ação semelhante tomada pelo líder americano contra o Brasil.

Esperança
Em novembro, o Tribunal do Comércio Internacional dos EUA decidiu que Trump não poderia impor sanções aos turcos com o argumento de proteção da segurança nacional, o mesmo que usou no caso brasileiro. A ação foi pedida por um importador americano.

Dose cavalar
A reforma da Previdência enviada pelo governador João Doria (PSDB) à Assembleia Legislativa foi considerada excessivamente dura até por aliados, que veem escassas chances de ser aprovada sem profundas modificações.

Esqueceu
Interlocutor do Palácio dos Bandeirantes junto ao Legislativo, o vice-governador, Rodrigo Garcia (DEM), está sob ataque por ter concordado com o projeto, visto como inviável politicamente. A crítica é ainda maior porque Garcia já presidiu a Casa.

Resta um
O expurgo na Secretaria da Cultura deve poupar o diretor do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Paulo Amaral, alinhado ao novo titular da área, Roberto Alvim. Já a sucessão de Kátia Bogea na direção do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) segue indefinida.

Família
Ligada ao grupo de Sarney, Bogea é vista como uma possível candidata do clã à Prefeitura de São Luís (MA) no ano que vem.

Não curti
Autor da consulta ao TSE que liberou o uso de assinaturas digitais para criar partido, o MBL ficou bem menos animado com o resultado do que os bolsonaristas. “Certificado digital não serve pra nada, é uma burocracia bizarra”, diz Renan Santos, coordenador do movimento.

Tiroteio
“A suposta retomada não se sustenta. Se há algum crescimento, parte de base deprimida e com precarização do emprego”. Do professor da FGV Nelson Marconi, sobre o discurso do governo Bolsonaro de que a economia voltou a crescer em ritmo forte.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

DNA da fuga

O governo de São Paulo afirmou ter identificado apenas um fugitivo que teve passagem por uma prisão do estado, entre os 75 que fugiram de Pedro Juan Caballero, no Paraguai. O secretário de Administra…


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Ponta do novelo

O vídeo com alusão ao nazismo que derrubou o secretário de Cultura, Roberto Alvim, acentuou o racha na comunidade judaica no País. O grupo Judeus pela Democracia pretende usar o episódio para …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Com fé, eu vou

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), baixou na última semana resolução que cria uma via rápida para a aprovação de isenção do IPTU para templos religiosos. A medida entra em vigor em 1º de …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

A parte pelo todo

Ao conversar com Jair Bolsonaro, ontem, sobre o vídeo gravado por Roberto Alvim – secretário da Cultura que acabou demitido no episódio –, o presidente do Congresso, Davi Alcolumbre (DEM-AP), …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Homem ao mar

Como forma de reduzir a crise na Secretaria de Comunicação, auxiliares de Jair Bolsonaro avaliam que Fábio Wajngarten tem que agir de modo mais efetivo e deveria optar por afastar Fábio Liberman, …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Devagar com o andor

Apesar da intenção de apresentar a reforma administrativa em fevereiro, a equipe econômica foi advertida de que trechos incomodam algumas categorias de servidores e podem complicar o avanço do tema. …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Espólio de guerra

Um dos pontos que o governo avalia para a venda dos Correios é o que fazer com um contingente de cerca de 40 mil pessoas que possivelmente vão perder o emprego com a privatização da estatal. Em …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Ao gosto do freguês

Advogados que atuam em causas penais já vislumbram a possibilidade de usar o juiz das garantias a favor de réus que hoje defendem. Um dos pontos que emergem é a leitura de que a nova figura …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Deixa para amanhã

Governadores de nove estados abriram mão de economizar parte de um total de R$ 2,58 bilhões em 2020 e 2021 ao adiarem o início da vigência de pontos da reforma da Previdência dos militares estaduais …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

A César o que é de César

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que autorizou a redução do valor do DPVAT neste ano não encerra a queda de braço travada pela área econômica com as administradoras do seguro. A …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados