search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Bancos liberam dinheiro para produtor rural

Notícias

Publicidade | Anuncie

Economia

Bancos liberam dinheiro para produtor rural


Colheita do café: benefício para indústrias do campo, cooperativas, agricultores familiares e outros produtores (Foto: Arquivo / A Tribuna)Colheita do café: benefício para indústrias do campo, cooperativas, agricultores familiares e outros produtores (Foto: Arquivo / A Tribuna)

Para financiar a próxima safra, que promete ser a maior da história do País, o governo federal liberou mais de R$ 251 bilhões para os produtores rurais do Brasil.

O Plano Safra 2021/2022, que apresentou um valor 6,3% maior em relação à safra anterior, foi dividido em quatro segmentos, sendo R$ 177,78 bilhões destinados ao custeio, industrialização e comercialização e R$ 73,4 bilhões para investimentos.

No total, 12 instituições vão operar com recursos equalizáveis no Plano Safra 2021/2022. Entre elas estão o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal e o Sicoob ES.

Só o Banco do Brasil vai disponibilizar R$ 135 bilhões para produtores de todo o País. A Caixa Econômica Federal vai oferecer R$ 35 bilhões de crédito rural.

Para os produtores rurais do Estado, o Sicoob ES vai liberar R$550 milhões, divididos em mais de 5 mil operações de crédito rural durante a safra. Já o Banco do Brasil, vai destinar R$ 1,87 bilhão para os produtores capixabas – quantia quase 20% maior do que o liberado na safra anterior.

Os créditos disponibilizados por meio do Plano Safra, que podem ser contratados de julho deste ano até o final de junho de 2022, vão beneficiar, além de agroindústrias e cooperativas, agricultores familiares e pequenos e médios produtores rurais.

Os recursos são para o custeio de despesas do ciclo de atividades e culturas como café, soja, milho, trigo, cana-de-açúcar, arroz, gado, fruticultura e piscicultura, além da aquisição de máquinas e equipamentos para irrigação.

O financiamento também pode ser usado para investir na modernização da produção e serviços.

As taxas de juros tiveram aumento médio de 10% para os pequenos e médios produtores, comparado ao período passado. No caso do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), os juros passam de 2,75% ao ano para 3%, para a produção de alimentos; e de 4% ao ano para 4,5% para os demais produtos.

O Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural terá 5,5% ao ano para custeio e 6,5% para investimento. Os grandes produtores poderão obter créditos com juros de 7,5% para custeio e 8,5% para financiamento de máquinas. Já os financiamentos via cooperativas para investimento, crédito industrial e capital de giro serão de 8% ao ano.


SAIBA MAIS


Plano Safra

  • O Governo Federal liberou mais de R$ 251 bilhões em financiamentos para os produtores rurais de todo o País, por meio do Plano Safra 2021/2022.
  • O plano tem um valor 6,3% maior em relação à safra anterior, e foi dividido em quatro segmentos, sendo R$ 177,78 bilhões destinados ao custeio, industrialização e comercialização, e R$ 73,4 bilhões para investimentos.
  • Serão 12 instituições financeiras operando com recursos para o Plano Safra, incluindo bancos públicos e privados, cooperativas de crédito e Banco de Desenvolvimento.

Programas

  • O Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) terá juros de 3% para a produção de alimentos, e de 4,5% para os demais produtos.
  • O Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronampe) terá juros de 5,5% ao ano para custeio e 6,5% para investimento. Os grandes produtores poderão obter créditos com juros de 7,5% para custeio e 8,5% para financiamento de máquinas.
  • Os financiamentos via cooperativas para investimento, crédito industrial e capital de giro terão taxas de 8% ao ano.

Até quando contratar

  • Os créditos podem ser contratados de julho deste ano até o final de junho de 2022.

Como usar os recursos

  • Os valores são destinados ao custeio de despesas do ciclo de atividades e culturas como café, soja, milho, trigo, cana-de-açúcar, arroz, gado, fruticultura e piscicultura, além da aquisição de máquinas e equipamentos para irrigação.
  • O financiamento também pode ser utilizado para investir na implantação ou na modernização da produção e dos serviços agropecuários.
  • Os recursos vão beneficiar, além de agroindústrias e cooperativas, agricultores familiares e pequenos e médios produtores rurais.

Alguns participantes

Banco do Brasil

  • O Banco vai destinar R$ 135 bilhões em crédito para o Plano Safra em todo o Brasil.
  • Para o Espírito Santo será R$ 1,87 bilhão, quase 20% a mais do que o liberado na safra anterior.
  • A carteira do banco destinada ao agronegócio capixaba hoje conta com R$ 4,38 bilhões. Desse total, 70% dos recursos são aportados em investimento, e 30% em custeio.
  • Há uma concentração de 57% na agricultura familiar, no Pronaf, o que dá R$ 2,5 bilhões. Na carteira, predominam os cafés arábica e conilon, com 55% dos valores aplicados nessas culturas, ou R$ 2,42 bilhões. E há ainda R$ 875 milhões na pecuária de corte e leite.
  • os recursos do BB aplicados na cultura de pimenta no Estado cresceram 71% , comparando o Plano Safra 19/20 com o atual. O tomate também teve um crescimento grande, em torno de 27%.

Sicoob ES

  • O Sicoob ES vai liberar R$ 550 milhões, divididos em mais de 5 mil operações de crédito rural, durante a safra 2021/2022. A diferença é de quase R$ 50 milhões em relação ao período anterior.
  • Produtores de pequeno, médio e grande porte podem ser atendidos pelos recursos do Sicoob ES. Para ter acesso, é necessário ter uma conta na instituição financeira cooperativa.
  • O Sicoob ES faz operações de crédito rural em todo o Estado e trabalha com variadas linhas de financiamento, o que possibilita a aplicação de recursos em todos os segmentos do agronegócio capixaba.
  • Além de dispor de linhas próprias, a cooperativa é o maior repassador do Estado de recursos do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) e trabalha com recursos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

Caixa Econômica Federal

  • A Caixa vai iniciar o ano safra 2021/2022 com a oferta de R$ 35 bilhões em recursos para o crédito rural no País. O valor liberado para o Espírito Santo não foi informado.
  • Uma nova agência Caixa, especializada em agronegócio, será aberta ainda este ano em Linhares para aproximar o pequeno produtor das oportunidades de crédito.
  • No Ano Safra 2020/2021, o banco registrou, até o momento, um crescimento de 46% nas contratações em relação ao registrado em 2019/2020. Já são mais de 5 mil contratos neste ano, número que é 45% maior frente ao mesmo período da safra passada.

Fontes: Ministério da Agricultura, Conexão Safra, Banco do Brasil, Caixa Econômica e Sicoob ES.

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.