search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Até 7 mil podem perder emprego após fechamento de multinacional no Estado

Notícias

Publicidade | Anuncie

Economia

Até 7 mil podem perder emprego após fechamento de multinacional no Estado


Encerramento da principal atividade da multinacional franco-americana TechnipFMC pode fechar mil empregos diretos. (Foto: Arquivo AT)
Encerramento da principal atividade da multinacional franco-americana TechnipFMC pode fechar mil empregos diretos. (Foto: Arquivo AT)
Com a possibilidade de fechar até mil vagas de emprego no Estado, o encerramento da principal atividade da TechnipFMC em Vitória prejudica toda a cadeia do petróleo e gás, além de outros setores da economia, de acordo com especialistas.

A multinacional franco-americana confirmou que vai encerrar em dezembro a produção de tubos flexíveis de sua fábrica na capital.

Segundo o consultor do setor de óleo e gás Durval Vieira de Freitas, a cada emprego direto perdido no setor, outros seis indiretos são atingidos.

O economista e coordenador geral da Faculdade Pio XII, Marcelo Loyola, lembrou que, além dos empregos que o Estado perde, há impactos na arrecadação de impostos e redução na demanda por produtos e serviços.

“Não tenho dúvida de que se fizer investidas, o governo do Estado pode atrair alguma outra empresa para o local, que é privilegiado”, disse.

Por meio de nota, a Secretaria Estadual de Desenvolvimento (Sedes) disse que ainda não foi comunicada oficialmente a respeito da decisão da empresa, mas acompanha o caso com atenção.

“Diante de tão delicado momento para a economia mundial e, consequentemente, para o Estado, a Sedes reafirma seu compromisso pelo diálogo junto ao setor produtivo, e se coloca à disposição da empresa no sentido de buscar alternativas que viabilizem a manutenção do maior número de postos de trabalho”, afirmou a secretaria.

A Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes) declarou que não foi oficialmente informada e por isso não se manifestará.
 


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados