search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Astro pop é condenado a dois anos de prisão por uso de maconha

Entretenimento

Publicidade | Anuncie

Famosos

Astro pop é condenado a dois anos de prisão por uso de maconha


O rapper Jung Ilhoon foi condenado por comprar e usar maconha (Foto: Reprodução/Instagram)O rapper Jung Ilhoon foi condenado por comprar e usar maconha (Foto: Reprodução/Instagram)

O rapper e ex-integrante do grupo de K-pop BTOB Jung Ilhoon, 26, foi condenado a dois anos de prisão, nesta quinta-feira (10), por comprar e usar maconha. Segundo o site Soompi, a Justiça sul-coreana ainda designou uma multa de US$ 120 mil, cerca de R$ 600 mil na cotação atual.

As investigações começaram em dezembro do ano passado e o artista saiu do grupo musical nesse meio tempo. O caso começou após ele comprar 826 gramas da erva e usar a maconha entre julho de 2016 e janeiro de 2019.

"Eu refleti sobre minha vida até agora enquanto passava por este incidente. Embora seja irrevogável, vou manter e lembrar a dor e a compreensão que ganhei com este incidente e viver sem me sentir envergonhado", disse o rapper em seu testemunho.

Além de Ilhoon, mais sete pessoas foram condenadas a penas de um ano e meio a dois anos de cadeia. A Coreia do Sul é rígida no controle de narcóticos, e o rapper não é o primeiro a ser acusado pelo uso da maconha.

Kim Hanbin, conhecido como B.I, foi condenado no início de junho pelo uso de drogas há cerca de cinco anos.

Em comunicado a gravadora do cantor disse: "Ainda que o artista e nossa empresa reconhecessem seus erros passados e fossem incapazes de reverter coisas que já haviam acontecido, ponderamos sobre como ele poderia viver o resto de sua vida como um membro mais honesto da sociedade."

"Em vez de apenas recuar ou continuar a refletir, esperávamos que nosso artista fosse capaz de usar a influência que já exercia de uma forma que ajudasse a sociedade, mesmo que apenas um pouco", continuou. "Apoiaremos nosso artista para ajudá-lo a viver sua vida como um membro maduro e honesto da sociedade."

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.