search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Aprovados no concurso da PM em 2018 pedem convocação

Notícias

Publicidade | Anuncie

Concursos

Aprovados no concurso da PM em 2018 pedem convocação


Candidatos em frente ao Hemoes durante protesto solidário no último dia 21. (Foto: Acervo pessoal)
Candidatos em frente ao Hemoes durante protesto solidário no último dia 21. (Foto: Acervo pessoal)
Os candidatos aprovados no concurso da Polícia Militar do Espírito Santo (PMES), realizado em agosto de 2018, para os cargos de soldado e oficial, esperam pela convocação há quase dois anos. Indignados, mais de 700 aprovados reivindicam um posicionamento do Governo do Estado sobre a convocação. No entanto, a PMES afirmou que ainda não tem prazo para acontecer.

Os candidatos demonstraram insatisfação com a falta de informação do órgão bem como a demora pelo início do Curso de Formação da Polícia Militar. Eles alegam que já deveriam ter sido chamados, pois o andamento das etapas dos concursos geralmente dura um ano.

No último dia 21, o grupo realizou uma ação social no Hemoes onde doaram sangue. A ideia é mostrar essa e outras ações em suas respectivas redes sociais, em forma de protesto solidário.
"O intuito dessas ações é ajudar o próximo e trazer à tona a situação vivida pelos candidatos para conhecimento da sociedade. Queremos uma data exata de convocação! Não aguentamos mais essa incerteza e a população tem direito a mais policiamento e segurança”, disse Felipe dos Santos Baier, de 21 anos.

Baier disse que a única informação que chegou até eles sobre a demora para o início do Curso de Formação é que existem alguns problemas com relação às liminares mas, não foram detalhados quais seriam esses problemas. Além disso, o outro motivo mais recente é a pandemia do novo coronavírus.

"Nosso sentimento é de total tristeza e decepção. Porque já era para a gente estar formado, na rua, trabalhando, dando a vida em prol da sociedade capixaba. Mas a gente ainda não tem nenhuma previsão e não vê nenhuma mobilização por parte do órgão competente. A primeira fase aconteceu em agosto de 2018 e a última, em março de 2020, ou seja, um período muito extenso. Nós estudamos muito! Nos esforçamos para conseguir aprovação em todas as etapas desse concurso, que é tão concorrido. Muitos colegas perderam seus empregos porque, na época, tinham que faltar o trabalho para participar de alguma fase. Outros pediram demissão porque acharam que o curso iria começar em determinada data e não começou. Alguns alugaram casa em Cariacica para ficar mais perto de onde seria o curso e pagaram até quatro meses de aluguel. Muitos candidatos estão passando por problemas financeiros", contou Baier.

Para o candidato João Guilherme Gomes Santos, 20 anos, que prestou o concurso assim que completou 18 anos, a sensação também é de decepção e espera.

"Eu e minha família ficamos muito felizes porque eu passei logo que fiz 18 anos. O sonho da minha avó, que faleceu no último dia 29, era me ver fardado e atuando como PM. É uma decepção saber que já se passaram quase dois anos e nada de sermos convocados. O ideal era que, em um ano, o grupo já estivesse formado e atuando. Muitas pessoas pedem mais polícia nas ruas porém, muitas não sabem que existem mais de 700 aprovados apenas aguardando a convocação", desabafou.

Gomes contou que o grupo se organizou para fazer uma vaquinha com a intenção de arrecadar dinheiro para comprar cestas básicas e doar para os candidatos que estão passando por dificuldades e também para comunidades carentes. Além disso, ressaltou que os candidatos entendem a importância do decreto governamental a respeito da pandemia.

"Nós entendemos que a pandemia é uma situação muito delicada e nos solidarizamos com todas as vítimas. Porém, os cursos de formação profissional na área de segurança pública são tão essenciais quanto a atividade da Polícia Militar, que faz o patrulhamento na rua. Nossa intenção não é atacar o governo, mas sim deixar claro que estamos prontos para assumir e começar trabalhar", disse.

O que diz a Polícia Militar

A Polícia Militar informou que está tomando as medidas finais para a conclusão do concurso público para oficial e soldado da PMES.

A PM ressaltou que está em vigência um decreto governamental, como medida preventiva à pandemia de coronavírus que vivemos. No momento, a matrícula dos alunos e o início dos cursos estão suspensos. Destacou ainda que não há risco dos alunos aprovados perderem a vaga e informou que não existe um novo concurso previsto neste momento.

Em nota, a corporação explicou que "a formação militar possui características inerentes à função que exigem a presença física dos candidatos no desenvolvimento das instruções e dos valores que regem nossos pilares institucionais, impedindo a modalidade EAD durante o período de formação. Em meio a uma pandemia, o mais sensato para proteção da saúde das pessoas é uma avaliação criteriosa do momento de liberação de aulas in loco".


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados