search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Ao mestre, com carinho
Gilmar Ferreira
Gilmar Ferreira

Gilmar Ferreira


Ao mestre, com carinho

Técnico campeão da Libertadores e do Mundial pelo Grêmio em 1983, comandante do título que pôs fim ao jejum de 21 anos do Botafogo, em 1989, Valdir Espinosa morreu ontem, de pneumonia, após dez dias de internação para uma cirurgia no abdome. Uma perda já muito sentida para aqueles que conviviam de perto com ele, mas amarga também para os amantes do bom futebol.

Apesar dos 72 anos de idade, o gaúcho gostava da plasticidade do jogo, ainda se dedicava a estudos táticos e não se cansava de mostrar em vídeos publicados em seu canal na internet o quão parado no tempo estavam os treinadores brasileiros que insistiam em escalar mais de um volante de contenção numa faixa do campo que deveria ser habitada por jogadores capazes de pensar e organiza o ataque.

Ontem, revisitando os links que ele compartilhava, encontrei um de dezembro de 2013, onde apontava os riscos que a Seleção de Felipão correria na Copa de 2014, no Brasil, escalando dois volantes, às vezes três, em vez de abrir espaços para meias e atacantes. E lembrei do quanto eu gostava de provocá-lo, considerando utópica e temerária a ideia de um time ir a campo com apenas um cabeça de área.

“O Grêmio fez a final do Mundial de 83 com o China à frente da linha de defesa, Osvaldo (artilheiro) e Mário Sérgio por dentro, Renato Gaúcho e PC Caju nas extremas, e o Tarcísio lá frente...”, rebatia.
E se eu o instigasse, atribuindo o sucesso à baixa intensidade da época, ele retrucava com uma verdade irrefutável.

“Com o avanço da fisiologia, é mais fácil pedir para um craque não deixar o adversário progredir do que exigir que um 'cabeça de área' seja capaz de organizar uma jogada de ataque...”, ensinava, com graça e leveza.

Espelho

Quanto mais observo o time de Jorge Jesus liquidar os adversários, mais me lembro das palavras de Espinosa. Porque me impressiona a postura defensiva e ofensiva do Flamengo, reduzindo espaços e desbravando caminhos no campo adversário com ações individuais que acionam o mecanismo coletivo.

O português transformou Gabriel Barbosa e Bruno Henrique numa dupla enlouquecedora. Juntos ou separados, os dois são o que há de mais moderno no futebol brasileiro — seja com ou sem a bola, na fase ofensiva ou defensiva, no jogo por baixo ou pelo alto. Ainda mais estando ladeados por jogadores como Willian Arão, Gerson, Arrascaeta e Éverton Ribeiro.

Ah, Espinosa, ainda bem que me redimi a tempo. Obrigado pelas aulas. E ainda bem que elas estão guardadas na internet.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Os “imorríveis”

“Os heróis do tri, apesar de serem considerados 'patrimônios nacionais e imorríveis', podem ser encontrados perdidos e filmados em qualquer esquina. Deprimidos, bêbados, loucos, mas com o coração …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Convicção e necessidade...

A precoce efetivação do auxiliar Ramon Menezes como técnico do Vasco, em substituição a Abel Braga, é apenas mais um caso do dilema que marca os dirigentes brasileiros na hora de escolher o novo …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Antônio Lopes e Zé Ricardo

José Luís Moreira, o recém nomeado vice-presidente de futebol do Vasco, já tem na cabeça o novo organograma para o principal departamento do clube. E a novidade é a presença de um diretor técnico …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

E a cota-parte?

A CBF homologou ontem o período de 20 dias de férias coletivas no futebol brasileiro, mas ainda não se manifestou quanto à ajuda solicitada pela Comissão Nacional dos Clubes (CNC) na semana passada. …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Imortal...

Vou me permitir sair um pouco da discussão em torno da pandemia que nos confina para descer a um particular que me veio a mente na terça-feira (24), data que marca os 27 anos da despedida de Roberto …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

O medo do colapso

Os transtornos econômicos gerados pela paralisação do futebol trouxeram apreensão aos clubes brasileiros. E os primeiros a sentirem o baque são os que fizeram planejamento de fluxo de caixa baseado …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas impressões...

O futebol vai parar em todo o País, o que já ocorre nos quatro cantos do mundo, e a discussão agora é saber qual será a rotina nos clubes. Há quem fale em antecipação das férias de final de ano, e há …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

A bola fora...

Mundo afora, entre todas as formas encontradas pelas autoridades esportivas para dar sequência ao calendário futebolístico, a pior delas é justamente essa de realizar uma partida de futebol com os …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

A missão de Autuori

Ficará a cargo de Paulo Autuori a missão de escolher o nome do profissional que irá exercer a função ocupada por Valdir Espinosa desde dezembro. A comissão executiva do futebol alvinegro entendeu …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

O drama vascaíno

As principais referências do elenco do Vasco se reuniram com Abel Braga na tarde de segunda-feira (9) em busca de maior entendimento sobre o sistema de jogo idealizado pelo técnico. E isso me parece …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados