search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Anvisa barra na Justiça monitoramento de temperatura feito pelo governo da Bahia em aeroporto

Notícias

Publicidade | Anuncie

Coronavírus

Anvisa barra na Justiça monitoramento de temperatura feito pelo governo da Bahia em aeroporto


 (Foto: Reprodução/Anvisa)
(Foto: Reprodução/Anvisa)

A pedido da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o TRF1 (Tribunal Regional Federal da 1ª Região) proibiu o governo da Bahia de realizar monitoramento de temperatura de passageiros que cheguem ao aeroporto de Salvador.

"Não consigo entender a Anvisa, que está nos impedindo de fazer a medição da temperatura das pessoas que chegam à Bahia", escreveu o governador Rui Costa (PT) nas redes sociais na manhã desta terça-feira (24).

"Acho inadmissível tamanha resistência de uma agência que deveria cuidar das pessoas. Vamos recorrer", complementou.

Na semana passada, a Anvisa chegou a barrar equipes do governo estadual que iriam fazer a medição de temperatura nos passageiros que desembarcavam no aeroporto.

A Bahia conseguiu uma liminar e o trabalho foi retomado. A Anvisa recorreu e impediu novamente a ação.

A Anvisa defende a ausência de competência dos estados e do Distrito Federal para exercício das ações de vigilância sanitária e epidemiológica em portos, aeroportos e fronteiras.

A Anvisa alega que todas as providências estão sendo adotadas para mitigar os riscos de contaminação, e comunica ainda que elas estão de acordo com o protocolo estabelecido em conjunto com a equipe médica do aeroporto.

O órgão federal aponta a ineficiência do método utilizado pelo estado da Bahia diante da ausência de recomendação da OMS e de comprovação de eficácia na utilização de scanners térmicos em aeroportos.

A agência, que também obteve vitória judicial semelhante no Acre e no Maranhão, considera que o método utilizado aumenta a aglomeração das pessoas, o que pode ocasionar riscos de contaminação.

Veja mais:

Caixa suspende Loteria Federal por 3 meses e altera sorteio da Dupla de Páscoa

Jogos Olímpicos de Tóquio serão adiados, afirma governo japonês

Prefeitos defendem adiamento de eleições e votação única


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados